Economia & Negócios

economia

Fóruns Estadão debate a modernização das relações de trabalho

O ministro do trabalho, Ronaldo Nogueira, e o presidente do TST, Ives Gandra Martins Filho, participam do encontro

O Estadão realiza nesta quarta-feira, 21, mais um evento da série Fóruns Estadão Brasil Competitivo. Desta vez, o debate vai tratar da modernização das relações trabalhistas. O fórum contará com a presença do ministro da Trabalho, Ronaldo Nogueira, e do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho.

Com o tema Modernização das Relações de Trabalho, o encontro, que tem patrocínio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), terá a presença de autoridades, representantes de entidades de empregados e empregadores e profissionais da área. Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, fará a abertura do encontro.

O evento será dividido em dois painéis. O primeiro, A Experiência Internacional, contará com Daniel Samaan, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), e Nicolas Chenevoy, da Universidade de Paris X - Nanterre.

Já o segundo painel, As Visões Brasileiras, terá a participação de Ives Gandra Martins Filho, presidente do TST; Alexandre Furlan, diretor da CNI e presidente do Conselho Temático de Relações do Trabalho e Desenvolvimento Social; Nelson Mannrich, professor titular da Faculdade de Direito da USP; e Rafael Marques, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. 

SERVIÇO

Fóruns Estadão Brasil Competitivo - Modernização das Relações de Trabalho

21 de setembro

8h30 às 12h30

Auditório do Estadão (Avenida Professor Celestino Bourroul, 100 - Limão) 

INSCRIÇÕES: http://www.estadaoeventos.com.br/trabalho.

Jornalistas que quiserem participar devem confirmar presença pelos telefones (11) 3277-8891, ramal 32, e 99462-9496 ou e-mail marco@luciafaria.com.br.

21/09/2016, 08h30

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 13h02

    21/09/2016

    Acaba o evento Fóruns Estadão Competitivo

  • 12h59

    21/09/2016

    Ricardo Patah, questionado sobre diálogo com Governo, diz que não houve acordo de adiamento da reforma para o segundo semestre, mas é compreensível porque é necessário mais diálogo

  • 12h57

    21/09/2016

    Questionado sobre a função do papel dos juízes, Ives Gandra responde que função é harmonizar os conflitos. "Se insistirmos que não é preciso reforma e interpretarmos a legislação de forma rígida, vamos acirrar as relações"

  • 12h54

    21/09/2016

    Os participantes do painel  As Visões Brasileiras responderão perguntas da plateia

  • 12h53

    21/09/2016

    Patah/UGT: precimaos dialogar para a partir do segundo semestre termos um País com crescimento

  • 12h52

    21/09/2016

    Patah/UGT: um dos maiores problemas que temos é empresas pobres com empresários ricos

  • 12h51

    21/09/2016

    Patah/UGT: precisamos investir na capacitação

  • 12h50

    21/09/2016

    Patah/UGT: não é possível que não sejamos capazes de aprimorar as relações. Sou a favor da regularização da terceirização mas precisamos alternativas que traga emprego e participação

  • 12h48

    21/09/2016

    Patah/UGT: tenho certeza que nenhum sindicato quer que empresa quebre e que não vai buscar nenhuma negociação

     

  • 12h47

    21/09/2016

    Patah/UGT: preferemos a empresa que gera empregos a que quebrou porque não cumpriu os direitos

  • 12h46

    21/09/2016

    Patah/UGT: precisamos ter flexibilização mas que não signifique perda de direitos

    Estadão

  • 12h45

    21/09/2016

    Patah/UGT: primeira reforma que deveria ser debatida é a reforma do Estado

  • 12h44

    21/09/2016

    Patah/UGT: na negociação se percebe as necessidade de cada lado

  • 12h43

    21/09/2016

    Ricarfdo Patah, presidente da União Geral do Trabalhadores, começa sua apresentação

  • 12h42

    21/09/2016

    Furlan/CNI: harmonizar a produtividade necessária com proteção do trabalhador e mudanças que abarquem necessidade das empresas e trabalhador não é fácil. Quanto mais buscarmos estratégias comuns, maior a probabilidade de êxito. Momento é de discutir estrategias e não defender modelo passado que teve seus méritos mas não representa realidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.