1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Brasil ganha 9 Leões no festival Lions Health

fernandoscheller

14 junho 2014 | 19:04

Principal destaque brasileiro foi uma campanha de doação de sangue da Leo Burnett Tailor Made, que ganhou um Leão de Ouro na categoria de saúde e bem-estar

Rui Piranda julgou categoria do festival Health Lions

O Brasil conseguiu um bom desempenho em sua participação no Lions Health, evento que antecedeu o Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade este ano. Ao todo foram nove prêmios, sendo oito na categoria Health and Wellness (saúde e bem-estar) e um em Pharma (premiação dedicada à publicidade para a indústria farmacêutica).

Isso quer dizer que quase 10% do total de inscrições – foram 98 trabalhos – saíram com um Leão nas mãos. O Estadão é o representante oficial do festival Cannes Lions no Brasil.

Como este primeiro Lions Health permitiu a inscrição de trabalhos feitos nos últimos dois anos, a campanha Meu Coração é Vermelho e Preto, da Leo Burnett Tailor Made para o Esporte Clube Vitória, da Bahia, foi o principal destaque, recebendo um Leão de Ouro, apesar de já ter sido premiada em Cannes Lions em 2013.

A campanha que incentivou os torcedores do Vitória a doarem sangue recebeu ainda três leões de prata e um de bronze. Em Health and Wellness, foram lembradas ainda uma campanha da Borghi/Lowe para o medicamento Anador (uma prata e um bronze) e uma peça sobre câncer infantil da JWT Brasil para o hospital AC Camargo (bronze).

A vencedora do Grand Prix na área de saúde e bem-estar foi para uma peça publicitária desenvolvida para uma clínica obstétrica japonesa pela agencia Dentsu. A empresa desenvolveu um “livro da mãe” que foi distribuído às pacientes. “Foi uma campanha simples, para um cliente pequeno, mas que se destacou por celebrar a vida, em vez de falar de uma doença”, explicou Rui Piranda, da FCB Brasil, membro do júri da categoria. “A intenção do trabalho era criar o elo entre a mãe e o filho, por meio de um livro artesanal.”

Sem vencedor. Na categoria Pharma, o júri optou por não conceder um Grande Prêmio. “Acreditamos que não houve um trabalho realmente icônico entre as inscrições. E a decisão de conceder o Grand Prix visa a justamente a estabelecer um desafio para a indústria (de fazer campanhas ainda melhores)”, resumiu o diretor global de criação da McCann Health, Jeremy Perrott, presidente do júri.

Em Pharma, o Brasil recebeu um Leão de Prata para a JWT, para a campanha Superfórmula para Combater o Câncer, do hospital AC Camargo.