O futuro do trabalho já chegou

O futuro do trabalho já chegou

Wal Flor

20 Julho 2017 | 18h58

Estamos vivendo uma mudança de era, ora chamada de quarta onda, ora de revolução 4.0, pós-digital e por aí vai. O fato é que estamos presenciando uma das maiores revoluções da História. Algo muito maior do que a globalização e a internet foram capazes de promover.

Às vezes assusta, mas temos que aceitar e fazer uma escolha importante: sermos protagonistas ou coadjuvantes deste momento histórico, assistir ou fazer parte ativamente destas mudanças. As tecnologias cada vez mais exponenciais vão acelerar muitas mudanças. A inteligência artificial já está presente no nosso dia a dia com serviços como Siri, Tinder, Google e tantas outras.

Créditos: divulgação

Vamos perder empregos? Se você não atualizar o seu pensamento e suas habilidades, provavelmente sim. Mas muitos outros empregos estão sendo criados. Programadores, por exemplo, são disputadíssimos por várias empresas. Economia colaborativa, empreendedorismo e impacto social são temas que soam como música para os ouvidos dos antenados jovens. E este interesse reflete o resultado de pesquisas que apontam que a maioria dos universitários, das principais universidades, não quer mais trabalhar em empresas tradicionais e sim empreender.

Não por acaso, a bilionária startup de coworking We Work inaugurou na semana passada sua primeira unidade no Brasil, na Avenida Paulista, com todas as 850 posições vendidas. Um novo modelo de escritório, uma nova forma de trabalho, uma nova maneira de fazer negócios está cada vez mais presente nos grandes centros brasileiros. Algo que no Vale do Silício, Berlim, Londres, Nova York e Austin já é normal. E neste novo modelo empresas e marcas também querem respirar este ar renovado. Horários flexíveis, home office e períodos sabáticos para funcionários são comuns em várias organizações. Estão todas se adaptando ao futuro, que bate à nossa porta.

Fomentar um novo modelo de trabalho, em especial o empreendedorismo em diversas classes sociais, é uma causa importante para marcas como Microsoft, Kibon, Itaú, Dell, Natura. Ser empreendedor, autônomo e cuidar do próprio negócio são formas menos paternalistas de ser remunerado pelo trabalho. E isso tudo vai criando um novo mindset na nossa sociedade.

A Reforma Trabalhista chegou muita atrasada. Por questões políticas infelizmente estamos no século passado com nossos modelos. Sem julgar os pontos positivos e negativos da lei, o fato é que precisamos mudar. Ou pegamos o trem da inovação ou ele nos atropela. O sistema já está sendo hackeado. É assim que se fazem as Revoluções da nova era. O futuro do trabalho já chegou. Você está preparado?