O dilema do presente do Dia das Crianças

O dilema do presente do Dia das Crianças

Para o consumidor é hora de pensar muito bem antes de por a mão no bolso para presentear os filhos, evitando se endividar

Economia & Negócios

25 Setembro 2015 | 12h07

Foto: Estadão

Foto: Estadão

O Dia das Crianças é a esperança do comércio para alavancar as vendas que nunca estiveram tão fracas. Mas para o consumidor é hora de pensar muito bem antes de por a mão no bolso para presentear os filhos, evitando se endividar. É preciso muito cuidado, pois a situação econômica não indica o fim do aperto tão cedo. E não se pode esquecer do endividamento já contratado junto a bancos e financeiras nos últimos meses.

Além de evitar o apelo consumista se você vai comprar brinquedo ou algum acessório, busque produtos seguros, por meio de uma escolha cuidadosa. Defina o que vai comprar, levando em conta o seu orçamento, mas também o gosto, a idade e as limitações da criança.

Não deixe de pesquisar preços, a variação entre as lojas costuma ser significativa. Nem sempre brinquedos mais caros ou mais anunciados são os mais adequados.

Tenha cuidado com produtos comercializados por vendedores ambulantes. O barato pode sair caro. Eles não têm garantia de origem e podem trazer riscos à saúde e a segurança da criança. Há casos em que os selos de segurança são falsificados.