Veja saídas para economizar no material escolar

Pagar à vista ou usar dinheiro ao invés de cartão ajuda na hora de negociar descontos; confira outras dicas

Economia & Negócios

16 Janeiro 2018 | 11h01

A grande diferença de preços dos materiais escolares entre os diversos pontos de venda exige pesquisar bem antes da compra.

A Família empenhada em gastar menos na aquisição da lista pedida pela escola pode gastar até três vezes mais, dependendo do local, conforme levantamentos feitos pelas entidades de defesa do consumidor.

+ Diferença de preço de material escolar pode chegar a 260% para o mesmo item em SP

Pagar à vista ou usar dinheiro ao invés de cartão também ajuda na hora de negociar descontos.

Interessados em comprometer menos o orçamento com esses gastos, os pais podem recorrer a diversas estratégias.

Avaliar o que sobrou do material do ano passado e que pode ser reaproveitado é o ponto de partida.

Comprar em parceria com outros pais em lojas de atacado também ajuda para esse custo pesar menos no bolso.

Comprar os livros didáticos de segunda mão também pode ser uma saída desde que estejam em bom estado e edição atualizada conforme a exigida pela escola.

Evitar levar o filho junto na hora da compra também evita a pressão pela aquisição de produtos de marca ou da moda, geralmente mais caros.

Se a economia é a palavra de ordem, tudo que garanta preço menor é válido, desde que não comprometa o desempenho escolar.

Até porque à lista pedida pelo estabelecimento de ensino se somam o do uniforme escolar e o do transporte para os casos em que a escola fica distante de casa.

Mais conteúdo sobre:

material escolar