1. Usuário
Assine o Estadão
assine

No mês da Copa, Gol perde de novo liderança em vendas

cleidesilva

terça-feira 01/07/14 21:25

Gol, da Volkswagen, perde pela segunda vez no ano o posto de líder em vendas, desta vez para o Fiat Palio

SÃO PAULO – Pela segunda vez no ano o Volkswagen Gol, modelo líder de vendas nos últimos 27 anos, perdeu o posto para um carro da concorrente Fiat. Em junho, o Palio liderou as vendas no País, com 14.081 unidades. O Gol veio logo atrás, com 13.167.

Em março, o modelo da marca alemã já havia perdido a posição de número um para a picape Strada, que só obteve o bom desempenho naquele mês.

A lista dos mais vendidos em junho traz o Chevrolet Onix hatch em terceiro lugar (10.994 unidades), seguido por Ford Fiesta hatch (10.702), Hyundai HB20 (9.582) e Fiat Siena (8.544).

Entre as marcas, a Fiat manteve-se na liderança do mercado, com 20,6% de participação nas vendas de automóveis e comerciais leves em junho, que somaram 250,9 mil unidades. O segundo lugar é da Volkswagen, com 18,2% e o terceiro da GM, com 17,2%. Na sequência estão Ford (8,7%), Hyundai (7,6%) e Renault (7%).

Disputa acirrada

Há uma grande disputa em algumas posições no ranking de participação de vendas no acumulado do primeiro semestre, que soma 1,585 milhão de automóveis e comerciais leves.

GM e Volkswagen estão tecnicamente empatadas no segundo lugar, com 17,6% de participação cada, a primeira com 279,2 mil veículos vendidos e a segunda com 278,7 mil.

Outra disputa é pela quinta posição, com Renault e Hyundai contabilizando fatias de 6,9% do mercado cada. A Renault vendeu 110 mil veículos no período e a Hyundai, 109,1 mil.

A Fiat segue na liderança, com 21,6% das vendas no semestre (342,2 mil), e a Ford segura a quarta posição, com 9% (143 mil).

Premium

No segmento de luxo, a Audi segue com desempenho recorde. A marca alemã vendeu 6.126 carros no semestre, número bem próximo do total vendido em 2013 inteiro, que somou 6.692 unidades. Só em junho emplacou 1.102 unidades.

O presidente da Audi do Brasil, Jörg Hofmann, afirma que os resultados demonstram que a estratégia da empresa de renovação constante do portfólio de produtos, investimento em tecnologia e no crescimento sustentável da marca no País “está ajustada aos desejos dos consumidores”. Segundo o executivo, “este será nosso melhor ano no Brasil”.