Aurelius quer reproduzir na Oi litígio semelhante ao da Argentina

Coluna do Broadcast

11 Julho 2017 | 05h00

O fundo abutre Aurelius tenta reproduzir na operadora Oi estratégia semelhante à praticada contra a Argentina e que deixou o país em situação de moratória por mais de 10 anos. O primeiro passo acaba de ser dado, com o pedido feito pelo administrador judicial da Oi Coop de reconhecimento nos Estados Unidos dos efeitos da falência do veículo financeiro decretado na Holanda.

Na marra. O objetivo final do Aurelius é interceptar eventuais pagamentos que a companhia faça no exterior para compensar remessa de 3 bilhões de euros que as subsidiárias da Oi na Holanda fizeram para o Brasil um pouco antes da companhia entrar em recuperação judicial, em junho de 2016. Como a empresa já estava insolvente na época, a transferência foi questionada na Justiça holandesa e usada como tese para pedido de falência dos veículos financeiros.

Abutres. No caso da Argentina, a moratória se arrastou após um grupo de credores, liderado pelo fundo Elliot e com o Aurelius entre seus participantes, discordar de plano de reestruturação proposto pelo governo daquele país. Entre as estratégias utilizadas, estiveram tentativas de arresto de depósitos do banco central argentino nos Estados Unidos e Europa. Procurado, o Aurelius não comentou. Já a Oi diz que a justiça brasileira é a única competente para tratar de temas relacionados à recuperação judicial e as empresas nesta situação e que a decisão na Holanda não tem efeito no Brasil.

Siga a @colunadobroad no Twitter