Banco Inter atrai R$ 400 mi de pessoas físicas em IPO

Banco Inter atrai R$ 400 mi de pessoas físicas em IPO

Coluna do Broadcast

01 Maio 2018 | 10h23

O banco mineiro Inter teve demanda de R$ 400 milhões vindo de pessoas físicas em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Como a demanda dos investidores superou a operação, parte desses interessados acabou ficando de fora, visto que esse público levou apenas 10% da oferta, conforme previsto em regulamento – ou seja, um pouco mais de R$ 70 milhões. Apesar de ser uma oferta relativamente pequena para o padrão da bolsa brasileira, mais de 40% dela foi alocada no exterior, para fundos como BlackRock e o soberano de Cingapura, o GIC. Na cerimônia em comemoração à estreia do banco na B3, o destaque foi a presença dos ex-jogadores e hoje diretores do São Paulo, Raí e Diego Lugano. A instituição financeira é um dos patrocinadores do time paulista. A Unit do banco Inter chegou a subir 16% na B3, mas terminou o pregão estável.

Em busca de retorno
O maior interesse da pessoa física nos IPOs, que também foi observado nas ofertas das operadoras de planos de saúde Notredame Intermédica e Hapvida, reflete o aumento da participação desse tipo de investidor na bolsa. Nesse momento em que a queda dos juros está iniciando um movimento de migração dos investimentos em busca de retorno, o número de CPFs registrados na Bolsa já bateu recorde e está em 653 mil. O melhor ano da história, até então, foi o de 2010 – quando o Produto Interno Bruto (PIB) avançou 7,5% e o número de investidores pessoas físicas chegou em 610 mil.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Foto: Caue Diniz/Divulgação