Carlyle deve focar área de bebês da Ri Happy antes de nova tentativa de venda

Carlyle deve focar área de bebês da Ri Happy antes de nova tentativa de venda

Coluna do Broadcast

10 Abril 2018 | 04h00

O fundo de private equity Carlyle deverá mudar a cara da varejista de brinquedos Ri Happy antes de uma nova tentativa de desinvestimento, depois de o plano de abrir o capital da empresa não ter prosperado.

Acelerar os investimentos na área de artigos de bebê ajudaria a melhorar a percepção do ativo, que hoje depende muito de datas comemorativas para alavancar as vendas.

Com um “boom” do negócio de bebês, a operação ganharia mais estabilidade ao longo do ano e teria menos efeitos sazonais.

Nas reuniões com investidores, os chamados roadshows, enquanto a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) ainda estava na rua, esse nicho dentro da Ri Happy – sempre apontado de grande potencial, foi bastante destacado aos investidores, mas não colou.

Tiny. Hoje a Ri Happy possui apenas seis lojas de artigos para bebês e outras oito chamadas de one-stop-shop, modelo que une as vendas de artigos para bebês com os brinquedos. Juntas, essas duas modalidades responderam por cerca de 7% do faturamento global da companhia em 2017. Procurado, o Carlyle não comentou.

Depois. A subsidiária da JHSF, a JHSF Malls, e a varejista de artigos esportivos Centauro não têm mais tempo hábil para aproveitarem a atual janela para novos IPOs, neste mês. Se conseguirem demanda, poderão tentar em julho. Procuradas, as empresas não comentaram.

Siga a @colunadobroad no Twitter