Com reestruturações, saldo de crédito podre de R$ 400 bi pode ter salto

Com reestruturações, saldo de crédito podre de R$ 400 bi pode ter salto

Coluna do Broadcast

14 Dezembro 2017 | 05h00

O volume de empréstimos vencidos e não pagos (NPL, na sigla em inglês) presente no sistema financeiro brasileiro pode aumentar consideravelmente caso reestruturações de dívidas recentes não forem bem-sucedidas. Até agora, a firma de auditoria e consultoria Deloitte estima que o estoque dos chamados ‘créditos podres’ já reconhecido pelos bancos locais chegue a R$ 450 bilhões.

Peso pesado
No entanto, apenas cerca de 20% ou R$ 80 bilhões ainda afetam diretamente o balanço dos bancos brasileiros, o que quer dizer que ainda exigem que as instituições façam provisões, as famosas PDDs. O restante já foi considerado como prejuízo. A Deloitte alerta ainda que a maioria dessas carteiras podres que ainda pesam nos balanços dos bancos não tem garantia.

Siga a @colunadobroad no Twitter