Consumidores querem destituir Viver em obra inacabada em MG

Coluna do Broadcast

29 Junho 2017 | 05h00

 

foto: Patrícia Cruz / AE

Uma comissão de donos de apartamentos do empreendimento residencial Torres do Alto Belvedere, de Nova Lima (MG), decidiu destituir a Viver, que é a desenvolvedora do projeto, e procurar outra empresa para terminar as obras. A decisão já foi informada à construtora e seguirá para aprovação na assembleia geral de condôminos. A obra do conjunto residencial sofreu readequações e acumula atraso de ao menos três anos após embargo por questões ambientais.

Cascata
Essa é a primeira consequência para a Viver após a decisão da Justiça de proibir a incorporadora de incluir em seu processo de recuperação judicial os empreendimentos com patrimônio de afetação – regra legal que impede uso de recursos de um projeto para pagar dívida de outros. Com dívida de R$ 1,2 bilhão, a Viver pediu para organizar suas finanças sob a proteção judicial e incluiu todos os seus empreendimentos no processo.

Revisão
Os condôminos também cogitam cobrar judicialmente o Santander Brasil. Eles querem a liberação de financiamento complementar para conclusão da obra. (Circe Bonatelli)

Siga a @colunadobroad no Twitter