CSN tem até fim do ano para divulgar balanço e evitar deslistagem

CSN tem até fim do ano para divulgar balanço e evitar deslistagem

Coluna do Broadcast

19 Outubro 2017 | 05h00

Se a CSN, de Benjamin Steinbruch, não colocar em dia a divulgação de seus demonstrativos financeiros até o fim do ano, a empresa ficará com a corda no pescoço. Isso porque está previsto no regulamento de listagem de emissores da B3 que a empresa que não divulgar ao mercado suas informações periódicas, caso dos resultados trimestrais, por um período superior a nove meses, poderá passar por um processo de deslistagem – quando as ações são excluídas da bolsa. O último balanço divulgado pela CSN foi o referente ao terceiro trimestre de 2016. Assim, o primeiro documento atrasado é o referente ao quarto trimestre do ano passado, que poderia ter sido divulgado até o fim de março deste ano, início da carência dos nove meses. Ou seja, a partir do primeiro dia de 2018, se o balanço não vier, a companhia poderá levar o cartão vermelho.

Vai e não vai. Há cerca de três semanas, a CSN havia prometido, nos bastidores, que o balanço estava próximo de sair e que a Deloitte estava pronta para assinar o documento. Internamente, o comentário é de que a assinatura do auditor sairá, sem falta, ainda nesta semana. A não divulgação de informações ao mercado é uma causa comum de deslistagem na Bolsa brasileira, mas não chama muito a atenção por atingir empresas com baixíssima liquidez. Esse, porém, não é o caso da siderúrgica CSN. Procurada, a empresa não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter