Eletrobrás quer assessor financeiro e jurídico para privatização

Eletrobrás quer assessor financeiro e jurídico para privatização

Coluna do Broadcast

03 Outubro 2017 | 05h00

Além de um gestor para o processo de privatização, a Eletrobrás defende a contratação de um assessor financeiro e jurídico. A ideia é ter um “advisor” como, por exemplo, a Rothschild. O processo de contratação não foi iniciado. Depois de definidos os detalhes é que o sindicato de bancos de investimento será selecionado.

Conflito
Normalmente, o gestor dos processos de privatização do País tem sido o BNDES, mas, no caso da Eletrobrás, esse padrão pode não ser seguido. Isso porque o banco é acionista da Eletrobrás, com participação de cerca de 16%. O governo avalia se não haveria um conflito de interesse neste caso. A alternativa seria outro órgão da administração pública, como, por exemplo, a secretaria do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). (Com Luciana Collet)

Siga a @colunadobroadcast no Twitter