Eletrobrás tende a se sair melhor do que Cemig no exterior

Eletrobrás tende a se sair melhor do que Cemig no exterior

Coluna do Broadcast

08 Agosto 2017 | 05h00

Passadas as férias no Hemisfério Norte, duas estatais de energia problemáticas, Eletrobrás e Cemig, tentarão emplacar operações de captação externa, com emissão de bônus, para ajudar a equilibrar seus passivos. Além da menor pressão de vencimentos de curto prazo, a vantagem da Eletrobrás é a maior possibilidade de apoio do controlador, o governo federal, que inclusive analisa a publicação de novas leis que favorecerão a companhia, por exemplo, na venda de algumas usinas.

Após o verão. Eletrobrás e Cemig pretendem lançar para investidores estrangeiros bônus em volumes de cerca de US$ 1 bilhão e US$ 1,5 bilhão, respectivamente, a partir de setembro. A Cemig estará, entretanto, em sua segunda tentativa, após abortar o plano em maio, depois de os investidores exigirem muito prêmio para embolsar os papéis. (com Luciana Collett)

Siga a @colunadobroad no Twitter