Executivos brasileiros não se prepararam para novos riscos

Executivos brasileiros não se prepararam para novos riscos

Coluna do Broadcast

22 Dezembro 2017 | 07h51

Grande parte dos executivos brasileiros ainda considera normal a volatilidade de seus negócios e acreditam serem capazes de administrar riscos na medida em que se materializam. A McKinsey identificou que apenas 16% do alto escalão das empresas nacionais veem a gestão de risco como prioritária, apesar do escrutínio recente de órgãos reguladores e de consumidores sobre as empresas, além das multas do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) terem aumentado 26 vezes este ano.

Jeitinho brasileiro. A gestão passiva de riscos é algo cultural e funcionou enquanto as crises eram menores, comenta Elias Goraieb, sócio da McKinsey. Outra revelação do estudo é que dois terços dos presidentes e diretores executivos das companhias que não se sentem confortáveis com a gestão de seus riscos sequer entendem os desafios.

Siga a @colunadobroad no Twitter