Gradual fecha as portas e corretoras absorvem folha

Gradual fecha as portas e corretoras absorvem folha

Economia & Negócios

15 Maio 2018 | 04h00

A Gradual Investimentos, que já foi uma das principais corretoras independentes do País, se prepara para fechar as portas. Depois da prisão de sua controladora Fernanda Lima – que já está solta desde o fim do mês passado -, no âmbito da operação Encilhamento, a corretora anunciou a clientes que “em virtude do encerramento de suas atividades de bolsa” está realizando operações apenas para zeragem e transferências de posições. Procurada, a Gradual não comentou.

Troca-troca. Corretoras estão absorvendo os profissionais que estavam na instituição. André Perfeito, que era economista-chefe da Gradual, assume a mesma posição na Spinelli e Concórdia, corretoras que estão em processo de fusão. Outros profissionais foram absorvidos pela Corretora Mirae, que amplia a oferta de seus serviços – levou Jefferson Macedo para chefiar a área de TI; Roberto Olsen e Wesley Silva para a mesa de renda variável; e Pedro Paulo Afonso para vendas. A Mirae contratou ainda Dolores Cobos, ex-Magliano, para cuidar da área de vendas institucionais. (colaborou Simone Cavalcanti)

Siga a @colunadobroad no Twitter