Instituto de Previdência de Barueri pede arresto de bens da Gradual

Coluna do Broadcast

03 Agosto 2017 | 05h00

O Instituto de Previdência Social dos Servidores Municipais de Barueri (IPRESB) entrou com ação para pedir arresto de bens da corretora Gradual. Solicitam ainda a tomada dos bens dos diretores Fernanda de Lima e de Gabriel de Freitas Júnior, até a importância de R$ 30 milhões.

Não pode
O instituto é cotista do fundo de investimento em direitos creditórios Multisetorial II, do qual a Gradual é gestora e administradora. Desde março, porém, os poderes da corretora no fundo foram limitados. Ainda assim, a Gradual fez três movimentações no valor de R$ 10 milhões cada, para a conta de um fundo de renda fixa, em desacordo com a deliberação dos cotistas, conforme a ação.

Amém
O juiz concedeu liminarmente a tutela, ou seja, foi determinado o arresto. Procurada, a Gradual diz que os recursos estão disponíveis e o bloqueio não faz sentido. Além disso, afirma que a assembleia de cotistas, hoje, definirá o montante a ser distribuído. O Instituto de Previdência de Barueri, o primeiro a pedir arresto dos bens da corretora, não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter