Retomada econômica deve puxar crescimento de até 20% nos Fidcs

Retomada econômica deve puxar crescimento de até 20% nos Fidcs

Economia & Negócios

18 Março 2018 | 02h00

A indústria de fundos de investimentos em direitos creditórios (Fidcs), que opera com estruturas compostas por recebíveis e cedentes variados, estima que a retomada econômica promoverá crescimento de até 20% na geração de recebíveis neste ano. A projeção é da Associação Nacional dos Fundos de investimento em Direitos Creditórios (Anfidc), que reúne representantes do mercado desses fundos, chamados multi cedentes (empresas) e multi sacados (consumidores). Em 2017, o giro de recebíveis nos fundos, que normalmente vencem em 45 dias, foi de R$ 130 bilhões, uma elevação de 15% frente ao ano anterior. Já o montante de recebíveis alocado nas carteiras dos fundos alcançou R$ 16 bilhões.

Outro lado. A margem dos consultores de crédito, que geram esses Fidcs, tende a cair, em consequência da queda da Selic. Desde o último trimestre de 2017, a compressão da margem tem sido de cerca de 15%. Por isso, a indústria deve se empenhar para manter retorno, buscando ampliar os volumes de fundos oferecidos e também a eficiência.

Funding. Os Fidcs multi cedentes e multi sacados são importante fonte de recursos para capital de giro das indústrias. Com a crise dos últimos três anos, ganharam importância, já que muitos bancos médios deixaram de oferecer o produto. Ao mesmo tempo, os players desse mercado, muitos dos quais oriundos de factorings, se modernizaram.

Siga a @colunadobroad no Twitter