Santander e Safra se armam para conter assédio a gerentes

Santander e Safra se armam para conter assédio a gerentes

Coluna do Broadcast

03 Setembro 2017 | 05h00

Os bancos Santander Brasil e Safra se preparam para contra-atacar o assédio de corretoras e gestoras de investimento aos seus gerentes. Depois de perderem clientes para a XP Investimentos, o setor bancário, onde estão 70% dos profissionais com perfil para agentes autônomos ou assessores de investimentos do País, traçou uma estratégia para blindar seus gerentes.

Rouba-monte
O Safra contratou, recentemente, Daniel Meira, que era gerente de relacionamento com agentes autônomos da XP, para exercer a mesma função dentro da casa. Com isso, quer reter e formar mais assessores financeiros para atrair clientes. Seguindo a mesma estratégia, o Santander conversou com agentes autônomos da XP em uma ofensiva para conhecer melhor esse mercado.

Empurrão
A aquisição de uma fatia da XP pelo Itaú Unibanco colocou o segmento de gestão de investimentos em ebulição. O Banco do Brasil também acelerou um projeto de uma unidade de investimentos e considera, inclusive, a possibilidade de adotar o modelo de agentes autônomos. A própria XP tem como meta dobrar o número desses profissionais até agosto de 2018, dos atuais 2,4 mil. Hoje, a corretora tem 80% do mercado de agentes autônomos. Procurado, o Safra apenas confirmou a contratação do profissional. O Santander esclarece que “tem uma estratégia definida para sua atuação no mercado de passivos”.

Siga a @colunadobroadcast no Twitter