Sem previdência, reforma da lei de recuperação judicial ganha espaço

Sem previdência, reforma da lei de recuperação judicial ganha espaço

Coluna do Broadcast

18 Fevereiro 2018 | 05h00

Estacionada desde o final do ano passado na Casa Civil, a proposta de mudança na lei de falências e recuperação das empresas pode ganhar sua vez no Congresso com a saída da reforma da Previdência da pauta, após a intervenção no Rio. Dias antes do carnaval e em meados de janeiro, ocorreram conversas com bancos e advogados especializados na própria Casa Civil, para alinhar novas mudanças no projeto que o Ministério da Fazenda entregou em novembro. Quem participou dos encontros saiu sem saber exatamente o que viria depois. Mas diante da possibilidade de a Previdência estar enterrada para votação este ano, a esperança é de que o projeto que altera a lei, por fim, aterrisse nas mãos do Congresso.

Indigesto. A discussão com a Casa Civil sobre o assunto decorreu da insatisfação dos profissionais que trabalham nos maiores casos de recuperação judicial do País com o projeto final, que altera 137 dos pouco mais de 200 artigos da lei vigente. Para muitos, as mudanças tornaram a lei pior e um desestímulo às empresas ao seu uso em caso de dificuldades.

Siga a @colunadobroad no Twitter