Tecsis caça negócios para viabilizar recuperação

Tecsis caça negócios para viabilizar recuperação

Economia & Negócios

17 Abril 2018 | 04h00

A Tecsis, que já foi uma das principais fabricantes de pás para geração de energia eólica e está parada há meses, busca novos contratos para retomar suas atividades em 2019, enquanto aguarda a homologação de seu plano de recuperação extrajudicial, negociado fora do ambiente judiciário. Uma das conversas acontece há cerca de quatro meses com a chinesa Envision Energy, fabricante de turbinas, para projetos na Argentina. No final de março, a Tecsis dispensou os funcionários de sua fábrica em Camaçari, na Bahia, única até então operante e aberta no início de 2016. O fechamento da unidade reacendeu reclamações de credores menores e que se opõem ao plano aprovado pelos credores maiores. Entre outras críticas, consideram que o plano não se sustenta, uma vez que a companhia está inoperante.

Olé.  A Tecsis, controlada pela Estáter, butique de investimentos, soma dividas totais de cerca de R$ 1 bilhão. Seu maior credor é a General Eletric, que também era o maior cliente. No final de 2016, porém, a Tecsis entrou em situação de desequilíbrio com o cancelamento do contrato de fornecimento, na esteira da aquisição da Alstom, também cliente, e de um de seus concorrentes, a LM Wind Power, ambos pela GE. Entre os bancos, Itaú Unibanco, Santander Brasil, Pine e BBM figuram com as maiores dívidas, nessa ordem. Procurada, a Estáter não comentou.

Siga a @colunadobroad no Twitter