Tweets de Trump viram termômetro de janela para emissores brasileiros

Tweets de Trump viram termômetro de janela para emissores brasileiros

Economia & Negócios

11 Maio 2018 | 04h00

A curva de juro norte-americana passou a contar com uma espécie de “indicador antecedente”. Ultimamente, os frequentes tweets do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ganharam relevância e passaram a ser monitorados por potenciais emissores brasileiros de bônus no mercado externo. Não é à toa. Trump tem usado cada vez mais a rede social para anúncios importantes, como a antecipação do seu encontro com o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, no próximo dia 12 de junho, em Cingapura, e ainda a saída dos Estados Unidos do acordo nuclear iraniano, fechado em 2015, ainda durante o governo de Barack Obama. Alguns desses tweets têm afetado na veia o mercado de juros futuros dos Estados Unidos, que determina o apetite dos emissores.

#audiência. Com 51,7 milhões de seguidores, Donald Trump coleciona 37,5 mil tweets desde que aderiu à rede social, em março de 2009, sendo alguns com mais de 100 mil curtidas. Em contrapartida à sua audiência, o presidente dos Estados Unidos se mostra seletivo e segue apenas 46 perfis.

Siga a @colunadobroad no Twitter