Natal 2017: comida mais barata e presentes mais caros que em 2016

Natal 2017: comida mais barata e presentes mais caros que em 2016

Em 2017 a ceia do Natal, comer ficou, em média, mais barato que no ano passado. Já os preços dos presentes subiram. Isso é resultado de alguns fatores entrelaçados: supersafra de alimentos, politica monetária do Banco Central e crise.

Alexandre Cabral

24 Dezembro 2017 | 13h48

Vamos conversar sobre a inflação e o Natal? O que resolvi fazer? Peguei os dados divulgados pelo IBGE sobre inflação e fiz contas considerando somente produtos ligados ao Natal. A partir disso, vamos analisar como evoluíram os preços nos últimos 12 meses.

Fotomontagem: Adriano Guedes / Ilan Goldfajn: / Rabanada: Paladar.

Antes, algumas explicações. 

– Qual índice de preços vou considerar? O IPCA-15, divulgado pelo IBGE no dia 21 de dezembro.

– Vou considerar neste texto as variações de preços de algumas receitas que tradicionalmente comemos na ceia de Natal e também dos produtos que mais frequentemente damos ou recebemos de presente nessa época do ano.

Observação: Excluí itens que não são de uso pessoal. Não brinca que você vai dar, para a sua mãe, uma máquina de lavar ou, para o seu pai,  uma panela de pressão. Esses são bens de uso coletivo e não um presente do tipo “pensei em você”. É claro que, se a minha sogra estivesse viva, eu daria uma vassoura. Mas, no caso dela, seria um bem de uso pessoal…. (Quando a patroa ler esse texto, vai me colocar para fora de casa kkkk)

– Alguns itens tipicamente consumidos no Natal não foram considerados neste texto porque não fazem parte do IPCA. Entre eles: vinho, tender, lombo, panetone, lentilha, bacalhau e nozes. Diante disso, precisei fazer algumas adaptações.

 

Vamos então falar sobre o comportamento dos preços de algumas receitas:

Primeiro, o meu símbolo gastronômico do Natal, a rabanada: mais barata 6,83% (amo rabanada, mas só aquela feita no dia. Nada de rabanada amanhecida, pelo amor de Deus!).

Peguei uma receita que rende 12 porções. Vamos precisar de: pão francês (+0,41%), açúcar (-17,26%), ovos (+4,65%), leite (-8,76%), leite condensado (-14,97%), óleo (-2,04%) e gás de botijão (+15,41%). Oba!!!! A rabanada em 2017 está mais barata que no ano passado. Sai por aproximadamente R$ 9,83. Em 2016, saía por R$ 10,40. Detalhe: o IBGE não acompanha o preço da canela em pó.

 

Frango Assado: mais barato 8,09%.

O IBGE não companha os preços das carnes mais típicas do Natal, como peru, chester e tender. Por isso, escolhi o frango (-9,46%). E como fazer esse frango? Eu acho que o assado é o mais tradicional, com gás de botijão (+15,41%), sal (+6,54%), cebola (+2,58%), alho (-20,01%), azeite (-4,50%) e mais os condimentos que desejar (obrigado pelas dicas, Bruna Loschi e Gleici Flores). Opa! O frango está mais barato que no ano passado. Em 2017, está em algo próximo de R$ 11,69. Em 2016, saía por R$ 12,72.

 

Peixe gratinado com legumes, receita da Palmirinha: mais barato 5,10%.

Vamos as produtos: cenoura (+24,15%), mandioquinha (-35,03%), brócolis (+6,11%), merluza (-4,74%), alho (-20,01%), azeite (-4.50%), queijo (-4,92%) e sal (+6,54%). Esse prato fica em R$ 61,41 em 2017, contra R$ 64,70 em 2016.

 

Churrasco:  queda de 3,92%.

Muita gente gosta de um belo churrasco no Natal. Eu amo churrasco em qualquer data, mas nunca comi nessa época do ano. É complicado generalizar o que vai ter em um churrasco, mas, para mostrar o comportamento dos preços, peguei os seguintes produtos: linguiça (+2,02%), frango em pedaços (-5,29%), contrafilé (-4,55%), sal (+6,54%) e carvão (-8,62%). Para 4 pessoas, o total fica próximo de R$ 72,58. No ano passado, saía por R$ 75,53. Obrigado, Marcelo Guerra, pelas dicas no churrasco.

 

Bebidas: Refrigerante (+2,46%), cerveja (+3,01%) e suco (+1,87%). Entre as bebidas acompanhadas pelo IPCA-15, a única que teve deflação foi o chá. Esquece! Não vou tomar chá no Natal!

 

Frutas: o IPCA-15 não inclui as frutas cristalizadas. Na verdade, dentre as frutas que tradicionalmente são usadas no cardápio natalino, poucas são acompanhadas pelo IBGE. O levantamento não traz os preços de ameixa e pêssego, por exemplo. A partir dos dados disponíveis, podemos destacar uva (-12,37%) e abacaxi (-5,20%). Sugestão: faça uma ceia somente com frutas. Considerando os preços dos itens captados pela pesquisa de preços, tivemos boa queda, em comparação com 2016.

 

Vamos aos presentes:

Aqui temos produtos generalizados, sem modelos ou marcas. Vamos falar de alguns:

Homem: calça comprida (+3,93%), short (+2,59%), camisa (+2,81%), sapato (+3,43%), chinelo (+1,36%) e cueca (+0,74%). Opa! Vamos dar cueca de presente para todos os homens! O preço quase não variou de um ano para o outro.

 

Mulher: calça comprida (+3,59%), saia (+1,04%), blusa (+0,62%), lingerie (+3,92%), chinelo (+3,74%), sapato (+5,04%) – obs: como acompanhar o preço do sapato? Há mulheres que têm 50 pares. Imagine acompanhar a variação de preço de cada par! – e agasalho (-2,83%). Opa! Escolhi o presente! “Meu amor, moramos no Piauí, sei que o frio nem vai chegar, mas 2018 é ano de Copa e vamos precisar ficar no clima da Rússia!”. Para reforçar o argumento, dá de presente um agasalho amarelo!

 

Criança: o IPCA-15 não traz variação de preços de brinquedos, somente de roupas. Tem criança que para de falar com você, se receber roupa de presente de Natal. Mas vamos às variações: vestido (+2,27%), short (+1,69%), camiseta (+3,52%), sapato (+2,67%) e conjunto (-3,49%). Indo agora ao shopping para comprar conjunto para as minhas filhas e para os filhos de amigos. Vai todo mundo ganhar conjunto. Teve queda de preços!

 

Ressaca

Vamos tomar um remédio e usar óculos escuros? Remédio subiu em média 4,35% e os óculos escuros caíram 0,20%. Raul Seixas ia ficar feliz porque o colírio subiu 3,94% e os óculos ficaram mais baratos.

 

Conclusão

Em 2017, comer ficou, em média, mais barato que no ano passado. Já os preços dos presentes subiram. Isso é resultado de alguns fatores entrelaçados: supersafra de alimentos, politica monetária do Banco Central e crise.

 

 

Agradecimento

Para embasar este texto, fiz um post no Facebook perguntando o que não poderia faltar na ceia de Natal. Recebi mais de 200 dicas e usei várias delas aqui. Muito obrigado pela ajuda!

Fotomontagem: feita pelo grande amigo Adriano Guedes, muito obrigado!

 

E o mais importante: uma pessoa plenamente realizada tem que ter a sua alimentação livre de uva-passa!! #teamforauvapassa

 

Leitores, Feliz Natal!

 

Edição: Patrícia Monken