As tendências de gestão corporativa para 2018

As tendências de gestão corporativa para 2018

Claudia Miranda Gonçalves

09 Novembro 2017 | 09h18

Seis semanas até o Natal, sete até o Ano Novo e bum…2018 está ai!!!

E para onde devemos direcionar nosso olhar corporativo, seja ele de funcionário, de gestor, de gerente, de proprietário e até de consultor?

Existe praticamente um consenso entre profissionais da área e executivos que nosso olhar deve estar voltado para as mudanças organizacionais.

Em 2016 e 2017 as organizações tiveram um despertar para a eficiência organizacional, o bem-estar no local de trabalho, engajamento de equipe, flexibilidade, crescimento de carreira e planejamento. Esse “despertar” iniciou um movimento que perpetua até hoje dentro das organizações, onde já se sabe que não é mais possível usar os padrões que usávamos antes, é preciso abrir espaço para criação do novo com a participação dos nossos recursos mais importantes: as pessoas.

Em 2018 a maturação do gerenciamento de mudanças continua com força e irá evoluir com ênfase na acessibilidade, simplificação e ferramentas personalizadas.

É também no próximo ano que as organizações vão passar a reconhecer a gestão de mudanças organizacionais como um fator-chave, enfatizando a resiliência da mudança, o desenvolvimento de competências e o aumento da compreensão de gestão de mudanças no nível da liderança, ou seja, é mais ou menos dizer “Ou entramos no barco ou nos afogamos”.

Na visão de quem possui as ferramentas para dar suporte às organizações que buscam essas mudanças sustentáveis, vemos uma quebra de paradigmas e um fortalecimento no que se trata de colaboração. Técnicas e abordagens colaborativas, que engajam a equipe, o funcionário, o líder, o representante. Técnicas como constelação organizacional, desenvolvimento de projetos colaborativos (Dragon Dreaming), rodas de conversa para resolução de conflito e coaching em equipe estão tomando mais espaço no mercado, uma vez que as empresas tomaram consciência que não adianta usar sempre a mesma abordagem e esperar um resultado diferente. É preciso inovar, na descoberta e na experimentação.

O mercado demanda mudança, o líder necessita de mudança e o funcionário almeja a mudança. Essa frequência da palavra mudança nos diálogos ficou marcada em 2017, e faz seu caminho de entrada para 2018, no entanto, a palavra que eu quero mesmo ver nesses diálogos é transformação.

Vamos também batalhar para esta tendência!?

Livia Zillo

Coach, Consultora de MBA, Mestrado e PhD, e sócia na IKIGAI. Dez anos de experiência acadêmica com Mestrado e Doutorado em Ciências, Masters em Gestão de Projetos e formada em Coaching Ontológico e Liderança pela Accomplishment Coaching. Expert em linguagem corporal e treinamento para entrevistas de MBA. Trabalha com coaching de carreira, de vida e executivo, e atende carta de clientes nacional e internacional. Conectada à toda forma de vida, tem como propósito o Esclarecimento, e segue buscando contribuir diariamente para a realização de sonhos e objetivos pessoais e de seus clientes.