Metade das brasileiras chega ao fim do mês sem sobra de dinheiro

Metade das brasileiras chega ao fim do mês sem sobra de dinheiro

Para 50,4% da população feminina, o mês termina no vermelho ou empatado, com os gastos consumindo toda a renda

Yolanda Fordelone

05 Abril 2016 | 10h56

Foto: Reprodução SPC Brasil/CNDL

Foto: Reprodução SPC Brasil/CNDL

Praticamente metade das mulheres brasileiras consegue pagar todas as contas do mês e ainda sobra um pouco de dinheiro para guardar, mas o restante fica no zero a zero ou, pior ainda, no vermelho. Segundo pesquisa do  Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 50,4% das brasileiras estão nessa segunda situação.

Entre as mulheres que não conseguem pagar as contas mensais, a principal justificativa é o comprometimento com os gastos considerados básicos, como as contas de luz, água, aluguel e a compra de mantimentos como arroz e feijão.

As empresas fazem um alerta porque em tempos de crise o risco de desemprego é maior, o que pode levar mais mulheres à situação de inadimplência. Além disso, a pesquisa lembra que é preciso pensar no futuro, no momento da aposentadoria.

O estudo indica que 19,6% não se preparam por não saber por onde começar e cerca de 12,1% gostariam de preparar-se, mas dizem não ter sobra de dinheiro para guardar. Outros 19% afirmam se preparar dependendo do INSS, enquanto 13% pretendem recorrer à poupança e outros investimentos. Apenas 4,7% preparam-se por meio de previdência privada.

O maior desejo do grupo caso ganhasse um dinheiro extra, correspondente a 12 meses de salário, seria guardar o valor para emergências (34,7%). Também foram citados a reforma da casa, o pagamento de dívidas e o desejo de fazer uma viagem.

A pesquisa ouviu 810 mulheres com idade igual ou superior a 18 anos, de todas as classes sociais em todas as regiões brasileiras. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais.

Mais conteúdo sobre:

finançasplanejamento
0 Comentários