Seis em cada dez brasileiros não sabem quanto devem

Seis em cada dez brasileiros não sabem quanto devem

Entre os que têm conhecimento de suas dívidas, o valor médio é de R$ 3.422; mais da metade dos endividados já tentou negociar o pagamento e conseguiu um desconto médio de 24%

Yolanda Fordelone

29 Março 2016 | 10h37

Foto: Free Images

Foto: Free Images

Que a dívida dos brasileiros anda grande, todos sabem… a novidade é que além de dever, a maioria dos consumidores não sabe o tamanho do problema. Segundo uma pesquisa seis em cada dez consumidores (58,9%) não sabem quanto estão devendo e 36% não sabe também a quantidade de empresas para que devem. O levantamento foi feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Entre os que têm conhecimento de suas contas, o valor médio das dívidas chega a R$ 3.422,29. A pesquisa também identificou um descontrole no pagamento das parcelas. No caso do financiamento de um carro ou moto, são 47,6 parcelas contratadas em média, sendo que destas 9,6 não foram pagas. Em empréstimos não foram pagar 9,6 parcelas, de um total de 26 contratadas.

O cartão de crédito é o maior vilão entre as contas que levaram os brasileiros a ficarem com o nome sujo (43,4% das dívidas não pagas). Em seguida, aparecem empréstimos (23,5%) e cartão de lojas varejistas (19,3%). Na média, os brasileiros têm ou tinham contas em atraso com 2,1 empresas.


As principais justificativas para a falta de pagamento dessas contas foram o desemprego (29,2%) e a redução da renda (14,6%), que juntos impactam o orçamento familiar.

A boa notícia é que mais da metade (57,1%) tem procurado o credor para negociar a dívida. Na negociação, é importante que o devedor faça as contas para saber se o pagamento das parcelas não irá comprometer gastos básicos, como comida e moradia.

Se não estiver satisfeito com a proposta do credor, o consumidor pode fazer uma contraproposta. Oito em cada dez brasileiros (78,8%) inadimplentes ou ex-inadimplentes fizeram uma contraproposta ao credor e 41,4% se prepararam para poder debater as condições para quitação da dívida. Além da negociação, as empresas ainda ofereceram um desconto médio de 24% para o pagamento da dívida à vista.

Serviço. Se a situação fugiu do controle, uma opção é procurar a ajuda de um especialista. O Procon-SP conta com um serviço gratuito de intermediação de negociação de pagamentos de superendividados (Saiba mais). Além disso, o portal Meu Bolso Feliz, da SPC Brasil, conta com simuladores e informações para orientar no pagamento de dívidas.

0 Comentários