1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Como controlar a ansiedade nas seleções de programas de trainee

claudiomarques

25 agosto 2014 | 17:27

Respiração, planejamento e ensaio são alguns dos cuidados indicados por especialistas para os jovens candidatos

Andressa Souza. Pensamento positivo e descontração ajudaram (Foto: Marcio Fernandes/Estadão)

GUSTAVO COLTRI

Agora em seu primeiro ano no programa de Trainee da Whirlpool Latin America, a administradora de empresas Andressa Souza, de 27 anos, sentiu a ansiedade própria das grandes seleções quando era candidata, mas soube domar as suas emoções. “Eu sempre ficava nervosa antes das etapas. Dava um frio na barriga, e as mãos ficavam geladas. Isso é até natural quando estamos sendo avaliados”diz.

A tensão, segundo ela, era especialmente intensa nos momentos que antecediam os testes, nas salas de espera. “Nessa hora, o que me ajudava muito era lembrar das minhas qualidades e pontos fortes. Isso aumentava minha confiança para processo e me fazia lembrar o motivo pelo qual acreditava que deveria ser aprovada.”
Andressa também apostava nas descontração para espantar o nervosismo. Nas dinâmicas, ela fazia algum comentário ou brincadeiras com o objetivo de “quebrar o gelo” com os examinadores. “Me tranquilizava, e era muito eficiente para conquistar a empatia”, confessa.

Cuidados. A ansiedade diante das avaliações é natural para a maior parte das pessoas, com característica sintomática, e não patológica, de acordo com o psicólogo José Roberto Leite, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Mas o desconforto, especialmente quando prejudica o desempenho dos candidatos, pode ser reduzido.

“A pessoa tem de se preparar para o momento do teste, e existem três elementos fundamentais nessas situações de avaliação: o preparo técnico, o que a maior parte dos candidatos busca, o controle emocional e a sorte, que é algo incontrolável.”

Nos momentos de ansiedade, ele recomenda que a pessoa realize a chamada respiração diafragmática: “Movimente mais a região da barriga do que ado o tórax ao inspirar. E expire no dobro do tempo que levou para inspirar”, diz. “E é importante fazer isso sem forçar.”

Além disso, o candidato deve enfatizar para si as qualidades que possui, assim como fez Andressa, e afastar qualquer pensamento que possa ser gerador de ansiedade: “A pessoa tem de se conscientizar de que aquela seleção não é nem será a última.”

Na opinião do gerente de finanças da recrutadora de executivos Talenses, Felipe Brunieri, estudar os possíveis interlocutores nas entrevistas ou apresentações pode contribuir para que os candidatos se sentam mais tranquilos nas avaliações.

Ele também diz que os candidatos podem ensaiar, sozinhos ou acompanhados, como pretendem se apresentar diante dos recrutadores. “Obviamente dormir cedo no dia anterior, cuidar da saúde e fazer atividades físicas ajudam. E chegar com antecedência aos locais de teste é também importante.”

Tags: ,