Saiba quais são as profissões mais promissoras em  2016
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saiba quais são as profissões mais promissoras em 2016

Áreas financeira, farmacêutica, agronegócio, comercial, tecnologia da informação têm mais possibilidades neste ano, segundo estudo

Redação

27 Janeiro 2016 | 17h03

Foto: Luis Pelaez/ GETTY IMAGES / PAGOS

Foto: Luis Pelaez/ GETTY IMAGES / PAGOS

As perspectivas profissionais são  preocupação de todo trabalhador. Ainda mais em tempo de crise. E até por causa dela, entre outros motivos, algumas profissões tornam-se menos procuradas enquanto outras acabam ficam mais promissoras. Para apurar as tendências do mercado de trabalho, a Wyser, empresa especializada em recrutamento e seleção para média e alta gerência da multinacional italiana de recursos humanos  Gi Group, realizou um estudo que apontou quais segmentos devem oferecer oportunidades profissionais em 2016. Nesse sentido, as áreas financeira, farmacêutica, do agronegócio, comercial, de tecnologia da informação têm mais possibilidades (veja abaixo), sendo que contador tende a ser a profissão mais procurada.
O gerente regional da Wyser para o Norte, Nordeste e Sudeste, Otávio Granha, conta como foi realizado o estudo. “Todos os headhunters da empresa, todas as pessoas, têm metas semanais de entrevistas com executivos. Desta forma, acabamos tendo um feedback muito forte do que o mercado tem demandado. Por um lado, os candidatos nos oferecem o que eles estão percebendo no mercado, e aí estamos falando de 1.500 a 1.800 entrevistas feitas ao longo de 2015, e por outro lado temos um feedback baseado na demanda das empresas. Uma empresa nos fala preciso de um engenheiro de petróleo, preciso de um geofísico, ou de um gerente de controladoria, por exemplo. Então, basicamente, essas são as duas pontas do mercado que nos permite perceber as necessidades do próprio mercado.”
De acordo com Granha, mais do que nunca, as empresas continuarão optando por profissionais resilientes, com capacidade de inovação e para encontrar oportunidades de crescimento e, principalmente, possam gerar rentabilidade aos negócios mesmo com poucos recursos. “Domínio do inglês ou outra língua estrangeira, especialização e flexibilidade para usar seus conhecimentos técnicos em outros segmentos são características bastante procuradas hoje por empresas”, diz Granha.
Ele ressalta que em  setores mais afetados pela crise, como a construção civil, mineração, indústrias pesada e naval, os profissionais terão mais dificuldade para encontrar uma oportunidade ao longo do ano. “Mas em alguns mercados, como turismo, um MBA ou pós-graduação pode contar pontos no cargo de gerência. Já para engenheiros, a consultoria de gestão é um campo a ser explorado”, afirma Granha.

A seguir, veja quais são as profissões mais resistentes à crise, com base no estudo, e a análise da Wyser a respeito.

Contador. É cada vez maior nas empresas a necessidade de corte de custos, análises contábeis/financeiras, cálculo de rentabilidade do negócio etc. Profissionais com inglês fluente e passagem por consultoria big four (as quatro maiores do mundo) serão bastante demandados.
Atuário.  O mercado de seguros, consórcios e previdência privada é um dos que mais crescem no Brasil. Devido a poucos cursos de Ciências Atuariais no país, profissionais com sólida formação técnica e acadêmica nessa área serão muito demandados nos próximos anos.
Bioquímico/Farmacêutico. O mercado de Healthcare e Life Sciences é outro que vem apresentando crescimento constante no país. Indústrias farmacêuticas, laboratórios de pesquisa avançada e produtos de beleza e higiene pessoal demandam cada vez mais profissionais com essa formação.
Engenheiro eletricista. Profissionais com essa formação podem atuar em empresas de energia renovável, telecomunicações e projetos de expansão de redes elétricas. Conhecimentos avançados de inglês e alemão são garantias de boas remunerações.
Agrônomo. Não há crise no agronegócio. O Brasil, como celeiro mundial e inovador em pesquisa agrícola fornece boas oportunidades, principalmente nas regiões Centro-Oeste, Triângulo Mineiro e interior de São Paulo.
Advogado. Profissionais especializados na área tributária são requisitados para trabalhos de consultoria, gerando ganhos consideráveis para as empresas. Também há uma grande demanda por profissionais especializados na área societária, de fusões e aquisições.
Engenheiro de produção. Profissionais com experiência em consultoria de gestão, mapeamento, redesenho de processos e gestão de projetos têm sido necessários para fortes reestruturações nas grandes empresas.
Físico. Com grande capacidade analítica e quantitativa, muitos físicos têm sido contratados por empresas da área financeira, como hedge funds e mercado financeiro em geral.
Analista de sistemas/computação. Com crescimento do mercado de tecnologia da informação (TI), profissionais com experiência em programação e habilidades para desenvolver soluções são demandados em quantidade crescente.
Sociólogo. Pessoas com essa formação são cada vez mais utilizadas pelas empresas para pesquisas de mercado, análises quantitativas de clientes e comportamento do consumidor. A área de ciências políticas também demanda analistas de conjuntura nacional e internacional.

Mais conteúdo sobre:

atuáriocontadorsociólogoWyser