Redação

17 Março 2016 | 06h06

Ilustração: Jean Pierre Gauzere / Getty Images

Getty Images

A consultoria de recrutamento de executivos e de desenvolvimento organizacional Stato divulgou um estudo em que aponta os sete erros mais comuns na elaboração de um currículo. Saiba quais são eles e prepare um bom currículo.

1.Falta ou excesso de dados pessoais
O entrevistador perde  tempo e  interesse ao se deparar com um  currículo em que não encontra de primeira  informações importantes como idade, contatos e endereço residencial. “Um bom currículo sempre tem essas informações claras e logo no início”. Mas deve-se evitar colocar fotos e o número do CPF ou RG,. “Estes dados são totalmente desnecessários, a não ser que seja solicitado pelo recrutador”, afirma o diretor de recrutamento da Stato, Paulo Dias.

2.Mentira
Mentir no currículo é a pior coisa que se pode fazer. Por exemplo, se você não fala inglês fluentemente, não escreva isso. “Seja transparente, pois se seu currículo for selecionado, a mentira pode cair por terra na entrevista. E será muito pior, acredite”, diz Dias.

3.Gramática
O currículo será a primeira impressão envolvendo o candidato. Passar o corretor ortográfico é fundamental, mas deve-se ficar atento ao que se escreve. “Evite passar a imagem de descuidado, revisando seu currículo antes de enviá-lo.” É válido pedir ajuda a um colega, já que outra pessoa pode perceber erros e dar dicas.

4. Exagero na formatação
Formatações criativas e extravagantes podem confundir o recrutador. Dias sugere que se opte pelas fontes clássicas, Times New Roman e Arial, em tamanho legível e na cor preta. “Usar negrito, itálico ou sublinhado  é permitido, principalmente para destacar títulos, empresas e cargos ocupados.”

5.Falta de clareza
É importante deixar claro o objetivo profissional, o nível de experiência e a área em que deseja atuar. Também é importante inserir  breve descrição das experiências e de mencionar todos os cargos ocupados em cada passagem profissional. É preciso, porém, não se prolongar demais ao descrever as funções exercidas. “O entrevistador avaliará sua capacidade de sintetizar sua experiência em poucas linhas.”

6.Remuneração
O executivo da Stato considera que incluir pretensão salarial no currículo não pega bem, pois a remuneração é assunto para ser discutido em entrevista. “Coloque apenas se for solicitado pelo recrutador. Ainda assim, procure colocar sua última remuneração (caso tenha) como referência.”

7.Tamanho exagerado
O currículo com uma página é o suficiente para um candidato em início de carreira. No caso de profissionais mais experientes, o ideal seria duas ou três páginas. “Currículos muito longos e prolixos dificultam a localização de informações importantes.”

Mais conteúdo sobre: