‘Minha chefe está tendo um caso com um colega da minha equipe. O que fazer?’
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Minha chefe está tendo um caso com um colega da minha equipe. O que fazer?’

Redação

10 Agosto 2017 | 14h17

Ilustração: Gracia Lam/The New York Times

The New York Times

A Carta: A chefe da minha pequena equipe na grande empresa onde trabalho está tendo um caso com um dos meus companheiros. Ambos são casados e têm filhos. Passam horas um no escritório do outro com as portas fechadas, saem de fininho para almoçar e marcam supostas viagens de trabalho que acabam “coincidindo”.

Minha chefe constantemente dá ao seu companheiro créditos indevidos e nos humilha na presença dele. Também parece desatenta, em detrimento da equipe, e compartilha com ele informações confidenciais a respeito de remunerações e de pessoas na empresa.


Essencialmente, eles estão prejudicando nossa equipe e criando um ambiente tóxico.

Em nossa empresa eticamente orientada, se esse caso fosse descoberto, levaria à demissão imediata de ambos. Mas os outros membros da minha equipe estão com receio de denunciá-los por temer uma retaliação.

Tenho pensado em ir ao departamento de Recursos Humanos, mas isso pode ser arriscado. Eu poderia encontrar outro trabalho caso precisasse, mas esse seria um golpe para uma equipe fraca e eu tenho senso de lealdade. Isso dito, a toxicidade e a injustiça da situação são fora do normal.

Qual o melhor rumo para mim?

Anônimo

Rob Walker responde: Comece por cortar um pouco essa ladainha de críticas. Separe o que você sabe daquilo no qual você acredita ou tem suspeitas. E separe os problemas comprováveis do seu local de trabalho de comportamentos que o incomodam ou constrangem.

Lembre-se que, em geral, a fidelidade conjugal de um colega de trabalho não é da sua conta, ou da empresa. Isso ajuda a deixar clara qual é sua real meta aqui, e o que você razoavelmente deveria fazer.

Parece razoável ter uma conversa com as pessoas de recursos humanos que se concentre em problemas específicos: se o favoritismo de um gestor por funcionário em particular está mesmo afetando o moral ou causando outro problema, essa é uma questão legítima, sejam quais forem as razões subjacentes. Não sei bem como você poderia saber se a sua chefe está partilhando informações confidenciais, mas esse também parece ser um problema concreto.

Pense em como manifestar suas preocupações tendo em vista o real comportamento no ambiente de trabalho e seus efeitos sobre o grupo – em vez de expressar o que você acredita ser a verdadeira causa. Se a situação é tão evidente quanto você sugere, isso não deverá ser difícil.

Romances no trabalho são, claro, nada raros. E é uma boa ideia para uma empresa ter orientações explicadas com clareza e expectativas, especialmente para referir-se a um relacionamento que cruze a linha supervisor/subordinado – que pode levar, por exemplo, a alegações de assédio sexual. (Algumas empresas até mesmo pedem a funcionários envolvidos romanticamente que firmem um “contrato de amor” ou documento semelhante, basicamente protegendo o empregado de tais reivindicações). Mas muitas não têm uma política, e eu suspeito que muitas mais preferem fazer de conta que o assunto não existe, a menos que um relacionamento comece a causar problemas tangíveis.

De fato, se o comportamento ocorre da forma que você o descreveu, é difícil de acreditar que o RH ou outro setor da administração ainda não tenham algum conhecimento. Esse é outro motivo para que você se concentre em problemas específicos que estejam prejudicando sua equipe. Deixe que a administração se preocupe com o que os pode estar causando e o que fazer a respeito disso.

0 Comentários