Mulheres em tecnologia: uma carreira em ascensão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mulheres em tecnologia: uma carreira em ascensão

Em artigo, a presidente da IBM América Latina vê com otimismo o potencial de oportunidades de carreira para as mulheres em tecnologia em nossa região

REDAÇÃO

20 Março 2018 | 07h33

Foto: Dai KE / Unsplash

Por Ana Paula Assis*

A tecnologia tem sido responsável pelas maiores transformações do mundo e é uma das áreas que mais crescem na economia global. Big data, analytics, blockchain, social media, mobile e inteligência artificial são alguns exemplos que estão mudando os negócios e o dia a dia de profissionais de diferentes áreas.

Segundo informações do Fórum Econômico Mundial (WEF), até 2020 serão criados em torno de 1,4 milhão de novos empregos e 65% das crianças que hoje estão na escola primária trabalharão em funções que ainda nem existem. Isso demonstra a urgência dos líderes de negócios e de governos prepararem a mão de obra para este novo cenário e garantirem a inclusão na força de trabalho é um aspecto essencial para que isso aconteça.

As oportunidades de carreira em TI nunca foram tão grandes. No entanto, as mulheres ainda são minoria em termos de desenvolvimento nos campos da ciência e da tecnologia. Nos Estados Unidos, o Centro Nacional de Mulheres e Tecnologia da Informação estima que apenas 26% das funções relacionadas à informática são ocupadas por mulheres. Outros dados apontam que 27% das mulheres em tecnologia sentem que não estão evoluindo em suas carreiras e 32% desistem em até um ano.

Mulheres em cargos gerenciais

O IBGE divulgou este mês uma pesquisa mostrando que a participação de mulheres em cargos gerenciais no Brasil caiu de 39% para 37,8% no ano passado, embora elas já alcancem nível de formação superior ao dos homens. O comprometimento com família e afazeres domésticos e, principalmente, o preconceito ainda são apontados como limitadores da ascensão feminina na carreira.

Em muitos eventos e reuniões que participo, ouço mulheres dizendo que têm de se esforçar muito mais que os homens para justificar uma promoção, para serem reconhecidas ou até mesmo para terem suas opiniões levadas em consideração pelos colegas. Elas têm avançado mais lentamente do que os seus pares do sexo masculino, tanto em termos de progressão na carreira como de remuneração. E isso é resultado da baixa representatividade na área técnica.

Um estudo recente feito pela IBM e o Boston College Center of Work & Family mostrou uma ligação positiva entre o aumento da diversidade de gênero e os resultados financeiros, em diferentes segmentos e países. Nós reconhecemos que as mulheres desempenham um papel crítico em nossa economia global e que elas devem estar presentes no setor de tecnologia da informação, que tem impulsionado a inovação em todo o mercado.

Equidade de gêneros e prosperidade 

A equidade de gêneros é fundamental para as economias e as sociedades prosperarem. Garantir o pleno desenvolvimento de toda a mão de obra é essencial para o crescimento e competitividade das economias e das empresas em todo o mundo. As organizações que negligenciam as mulheres como recursos críticos, no que diz respeito ao gerenciamento de talento, correm o risco de ficar para trás de seus concorrentes em relação à atração, desenvolvimento e retenção dos melhores candidatos para serem a próxima geração de líderes.

Para alavancar a carreira das mulheres nas áreas de tecnologia, é importante as empresas identificarem o quanto antes as profissionais que têm capacidade e potencial para ocupar cargos de liderança e trabalharem em um plano contínuo de desenvolvimento e treinamento para elas.

Ser a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente da IBM para a América Latina me dá um enorme orgulho e aumenta ainda mais o meu comprometimento em inspirar mulheres a seguir carreira técnica. Diversidade faz parte do nosso propósito e, como agentes importantes deste mercado, temos a responsabilidade de liderar este movimento e disseminar a relevância do aumento da representatividade feminina em tecnologia.

Ainda temos um longo caminho a percorrer nessa jornada, mas estamos avançando bem, especialmente na América Latina. Aqui, várias empresas de TI são lideradas hoje por mulheres. Há uma tendência de abertura cada vez maior deste espaço e eu vejo com otimismo o potencial de oportunidades de carreira para as mulheres em tecnologia na nossa região.

*Presidente da IBM América Latina