1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Anos 2000 foram a década perdida para os americanos

quinta-feira 23/08/12

Desde pelo menos 1950 os EUA não tinham um período com tamanha queda na renda

pew_research_reproducao.jpg

Os anos 2000 foram a “década perdida” para os americanos, diz o título de uma reportagem do Wall Street Journal, com base em dados da emrpesa de pesquisa Pew Research.

Apesar do título chamativo, o Journal entra em uma discussão sobre o tamanho da classe média dos Estados Unidos e esquece de citar um gráfico, apresentado no estudo (e reproduzido acima), que mostra claramente o que foi a década perdida.

Nos anos 1950, 1960 e 1970, a renda média dos americanos aumentou em todos os cinco estratos em que o estudo divide a população. Detalhe: nas duas primeiras décadas citadas, os mais pobres foram os que conseguiram, de longe, o maior ganho de rendimento.

Na década de 1970, os pobres também melhoraram de vida, mas não tanto quanto a classe média.

A partir de 1980, a situação começa a piorar para a classe baixa. Os 20% mais pobres, nesse período, tiveram uma perda de rendimento – e foram os únicos que sofreram desse problema. Todos os demais grupos aumentaram a renda, ainda que em ritmo menor que em décadas anteriores.

Ainda em 1980, nota-se que a classe alta foi a que mais consegui aumentar a renda. Os 5% mais ricos tiveram, disparado, o maior incremento na renda.

Mais tarde, nos anos 2000, todos os estratos tiveram perdas, especialmente a camada mais baixa. Os 5% mais ricos também perderam, e, no fim das contas, a classe média foi a que menos reduziu sua renda na década passada.