O que os imóveis oferecem ao público classe A
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que os imóveis oferecem ao público classe A

Incorporadoras apontam os principais itens de seus empreendimentos mais luxuosos, de arquitetura elegante a tudo que aumenta o conforto

Redação

09 Abril 2017 | 09h05

Fachada do Residencial Oka, da Idea!Zarvos, na Vila Madalena. Foto: Alex Haiashida

Fachada do Residencial Oka, da Idea!Zarvos, na Vila Madalena | Foto: Alex Haiashida

Caroline Monteiro
ESPECIAL PARA O ESTADO

Mais do que simplesmente localização e tamanho, muitos elementos definem hoje o que pode ser chamado de imóvel de luxo. Projeto arquitetônico diferenciado, materiais de qualidade, além de itens como piscina de borda infinita ou grandes, ambientes espaçosos e com muita iluminação natural, excelente isolamento acústico e térmico, automação e até sustentabilidade, entre outros itens, são características essenciais nesses projetos.

Nestes casos, o metro quadrado pode chegar a R$ 22 mil reais, segundo Adolpho Lindenberg Filho, presidente da construtora de mesmo nome. De acordo com ele, a empresa faz constantes pesquisas para entender o que o cliente de alto padrão deseja.

Para alguns, o principal destaque dos lançamentos nessa categoria são as fachadas, que surgem mais modernas e tecnológicas, cheias de iluminação, metais e vidros. “Hoje, existe mais cuidado com a frente dos condomínios. As incorporadoras se preocupam em trazer um empreendimento mais arrojado, com acabamento mais fino”, diz o responsável pela incorporação e desenvolvimento de produtos da BKO, José Roberto Leite. “Nós queremos dar visibilidade noturna com as luzes, sem atrapalhar os apartamentos com claridade.”

Para a diretora da Related Brasil, Daniela Almada, a arquitetura de renome, que antes era mais comum em hotelaria e prédios comerciais, veio para ficar nos empreendimentos residenciais. “O VHouse – um condomínio na Faria Lima – nasceu para ser um marco na cidade. Ele tem 80 metros de altura e, na fachada, há uma elipse que se acende à noite”, diz.

Elipse luminosa na fachada do VHouse, da incorporadora Related Brasil, na Faria Lima | Foto: Eduardo Viana

Elipse luminosa na fachada do VHouse, da incorporadora Related Brasil, na Faria Lima | Foto: Eduardo Viana

O sócio-fundador da Idea!Zarvos, Otavio Zarvos, diz que um imóvel de luxo pode ter 50 m² ou 600 m². “Não é o tamanho que define o padrão. Para nós, a arquitetura autoral de qualidade é a principal característica. Nossos clientes buscam essa estética exclusiva.”

A Idea!Zarvos fez o Oka. O residencial tem apenas oito unidades, de 310 m² a 509 m², com 5 ou 6 vagas de garagem. Na área comum, academia e sauna. O projeto foi eleito o melhor do MIPIM, principal evento mundial do mercado imobiliário.

Para Lindenberg, apesar dos modernos lançamentos, ainda há espaço para a construção de projetos neoclássicos, uma marca de seus empreendimentos. “São Paulo tem um bom histórico com esse tipo de arquitetura. São prédios valorizados, atemporais, que não envelhecem.”

Personalização. Outro item importante nesse segmento do mercado o é a possibilidade de adaptar as plantas de acordo com os gostos pessoais.

“Gostamos de vender logo após o lançamento, porque, assim, conversamos com os clientes para que eles escolham se querem três suítes e uma grande sala ou quatro suítes e uma área de estar menor”, diz Lindenberg. “O cliente de luxo raramente fica com a planta origina”, acrescenta.

Durante a construção também é possível pedir a inclusão de kits. São adicionais cobrados à parte, como ar-condicionado e aquecimento central, automação e até decoração. “Podemos entregar o apartamento pronto para morar, inclusive com talheres”, diz Daniela.

De acordo com o responsável pelas operações da incorporadora MDL em São Paulo, Fernando Trotta, o primeiro kit mais pedido pelos clientes é o ar-condicionado central e o segundo é a automação.
“Temos a capacidade de entregar o apartamento 100% automatizado, com iluminação, som, cortinas e até enchimento de banheira.”

Os empreendimentos da BKO oferecem, por exemplo, tomadas USB, tomada para carro elétrico e acesso por biometria.

Áreas comuns. Os espaços de lazer dos condomínios têm ficado cada vez melhores, diz Leite, da BKO. “Só investimos naquilo que faz sentido para o público, como salão de festa com churrasqueira e academia. Viemos de uma tendência onde se criava muitos espaços, mas pequenos e inúteis. Queremos retornar para as áreas comuns tradicionais, com cada vez mais qualidade.”

Piscina coberta, do empreendimento Tabapuã (construtora Adolpho Lindenberg) | Perspectiva: Digital Light

Piscina coberta, do empreendimento Tabapuã (construtora Adolpho Lindenberg) | Perspectiva: Digital Light

A MDL diz estar investindo em espaços no topo do prédio, que valorizem a vista. “Academia ou piscina de borda infinita no último andar, com vista para os Jardins, é uma forma de dar ainda mais valor para a localização”, diz Trotta.

A oferta de serviços que se assemelham a hotelaria também pode ser considerada item de luxo, dependendo do empreendimento. Segundo Daniela, da Related Brasil, esse é um dos grandes atrativos do VHouse.

“O morador ou um inquilino de longa estada terá acesso a lavanderia, concierge, camareira e serviço na piscina. É o luxo nos pequenos apartamentos”, afirma a executiva.

Para Leite, o valor dado a essas facilidades depende do público. “São serviços atraentes, se não aumentarem o preço do condomínio. Percebemos que funciona melhor quando o cliente paga somente o que usa, o chamado pay per use.”

OS ITENS MAIS PROCURADOS

As incorporadoras listaram o que dá ainda mais valor para um imóvel. Muitas vezes, o luxo está escondido nas estruturas.

Ar-condicionado central. Um dos itens mais pedidos na personalização. É instalado durante a fase de obras, sem aparelhos para fora da janela

Automação. A casa automática já é uma exigência do alto padrão. Cortinas, luzes e até banheiras podem ser controladas com tecnologia

Churrasqueira na varanda. Incorporadoras pararam de oferecer o artigo nos imóveis mais caros por achar que não era requisito dos mais ricos e acabaram perdendo vendas. A churrasqueira é essencial em muitos dos imóveis de R$ 2,5 milhões

Cozinha americana. A sala ligada à cozinha continua presente, mas mais evoluída. Em forma de varanda ou terraço gourmet, com fogão, churrasqueira e forno de pizza, a área de estar fica enorme

Isolamento acústico.Paredes e chão com tratamento acústico e pisos do banheiro com aquecimento estão em vários empreendimentos. Os materiais têm cada vez mais qualidade e sofisticação

Sustentabilidade. Aquecimento solar, caldeiras para que as águas já cheguem aquecidas aos apartamentos, reúso da água da chuva e poços artesianos dão conforto aos condomínios e moradores, além de serem soluções sustentáveis

Leia mais: Paisagismo é preocupação nos empreendimentos de alto padrão