Dois caminhos para ganhar mais na renda fixa

Regina Pitoscia

21 Fevereiro 2018 | 00h04

Com Tom Morooka

Não é novidade que a taxa básica de juros, Selic, de 6,75% ao ano nivelou por baixo o rendimento de todas as aplicações tradicionais de renda fixa. Desde títulos bancários como o CDB até a caderneta de poupança, passando pelos fundos de investimento, tanto os DI como os de renda fixa.

Nos grandes bancos de varejo, o investidor recebe como remuneração nessas aplicações algo em torno de 0,40% ao mês ou 4,80% ao ano. Grosso modo, quem investe R$ 10 mil recebe como rendimento aproximadamente R$ 40 por mês ou R$ 480 por ano. Rentabilidade nominal modesta, ainda que a inflação esteja baixa e deva permanecer rasteira por bom tempo.

Nem todas as opções, porém, levam a um rendimento limitado à Selic. O investidor que quiser driblar essa mesmice e turbinar a rentabilidade, sem sair da renda fixa, poderá procurar dois caminhos.

Bancos menores

Um é aplicar em títulos bancários, como CDB, LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito Agrícola), em bancos médios e pequenos.

Trata-se de instituições financeiras que oferecem títulos pela internet, em aplicações diretas pelo site, com rendimento que vai além da Selic ou do DI, assim chamado o juro que remunera esses papeis e anda colado na a taxa básica.

Em bancos como Sofisa, Daycoval, Máxima, dentre outros, o rendimento equivale à Selic de 6,75% ao ano mais um porcentual adicional sobre ela. As taxas deles são mais atraentes que a dos bancos de varejo porque essas instituições não contam com agências físicas para captação de recursos.

Como rendem mais e são emitidos por instituições de tamanho menor, esses títulos são vistos com reserva, por supostamente oferecer maior risco de crédito – o de que, por algum motivo, o investidor deixar de receber o valor aplicado com rendimento no resgate.

Esse risco é neutralizado total ou parcialmente pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Os recursos desse fundo, formado com contribuições mensais dos bancos, garante o ressarcimento ao investidor de até R$ 250 mil, por CPF e banco, até o limite de R$ 1 milhão no total.

Um investidor que tiver esse volume de dinheiro para aplicar contará com a cobertura sobre o total desde que distribua o valor, por lote de R$ 250 mil cada um, em títulos emitidos por quatro bancos diferentes ou aplique em nome de quatro pessoas da família com CPFs distintos.

Títulos como CDB, LCI e LCA costumam render mais para aplicações de maior valor e por tempo mais longo. Simulações existentes nos sites permitem calcular o rendimento e fazer a melhor escolha.

Quem aplica em CDB paga imposto de renda sobre o rendimento, de acordo com o tempo de aplicação. A alíquota vai de 22,50%, para aplicação de até 180 dias, com intermediárias de 20% (181 a 360 dias) e 17,50% (361 a 720 dias), até 15%, para aplicações acima de 720 dias. As LCI e LCA são isentas de imposto.

Plataformas de investimento

Outro meio de chegar a títulos e fundos de investimento mais rentáveis são as fintechs ou plataformas digitais de investimento, administradas por corretoras e distribuidoras de valores.

Vistas como um canal que democratiza o acesso do investidor de varejo a opções anteriormente destinadas apenas a grandes investidores, essas plataformas possibilitam que com valor de aplicação baixa, em geral em torno de R$ 1 mil, seja possível chegar a rendimentos acima da Selic.

As plataformas digitais distribuem títulos de renda fixa (CDB, LCI e LCA) e fundos de investimento, como o de ações, de outras instituições financeiras. São papeis de variados prazos de vencimento, cujo apelo está na rentabilidade acima da taxa básica.

O processo, desde a abertura da conta, cadastramento até a aplicação, não tem custo algum. É tudo feito pela internet no site de bancos e corretoras. Confira alguns: Rico Investimentos (www.rico.com.vc); banco Máxima (www.bancomaxima.com.br); PoupaBrasil (www.poupabrasil.com.br);

Órama DTVM (www.orama.com.br); banco Daycoval (www.daycovalinveste.com.br)); Guide Investimentos (www.guideinvestimentos.com.br); banco Sofisa (sofisadireto.com.br).

É possível também usar os aplicativos para celular nos sistemas Android e iOS para acessar os títulos ofertados por essas plataformas. Eles oferecem ainda uma série de serviços, como simuladores que permitem a escolha do título mais adequado e rentável a cada aplicador.

Vale a pena trilhar esses dois caminhos em busca de rentabilidade diferenciada e, praticamente, sem aumentar o grau de risco.