Qual é o melhor investimento para aposentadoria? Veja simulações

Sílvio Guedes Crespo

03 Abril 2018 | 05h00

“Qual é o melhor investimento para aposentadoria?”. Essa é uma das perguntas que eu mais recebo.

E a resposta é: depende.

Depende do quanto você está disposto a correr riscos. Depende de quando você quer começar a usufruir do seu dinheiro. E depende também de quanto dinheiro você tem para investir.

Preparei os dados sobre isso e vou apresentar na Semana da Aposentadoria. Mas por enquanto vou adiantar alguns deles aqui no Estadão.

Abaixo, você vai ver simulações com três tipos de investimentos que podem ser (e muitas vezes são) usados para juntar uma reserva de aposentadoria. Vale dizer que esses três tipos têm níveis de risco diferentes. Explico melhor em cada um dos itens abaixo.

TESOURO DIRETO

Dos três tipos de investimento para aposentadoria que vou analisar neste artigo, o Tesouro Direto é o mais seguro deles. Se você investe em um título e espera até o fim (até a chamada “data de vencimento”), a chance de você perder dinheiro é praticamente zero.

Então  vamos à simulação:

– Investindo R$ 500 por mês no título Tesouro IPCA+;

– Durante 30 anos;

– Você acumula aproximadamente R$ 319 mil;

– E poderá fazer retiradas de R$ 1.323 por mês durante os 35 anos seguintes.

Talvez você olhe para esses números e pense: “Mas só isso? Investindo R$ 500 por mês eu só vou acumular R$ 319 mil?”

Pois é. Pode ser que você tenha visto na internet simulações indicando que você ganharia muito mais do que isso com o Tesouro Direto. Mas nesta simulação eu desconto não só o Imposto de Renda e as taxas, mas também a inflação. Normalmente as simulações na internet não descontam a inflação.

E o que significa “descontar a inflação”? Significa trazer os valores para os preços de hoje. Se você investir R$ 500 por mês nesse título durante 30 anos você tende a acumular, na verdade, um valor muito maior do que este. Mas daqui a 30 anos esse valor não terá o mesmo poder de compra que tem hoje. Eles terá o poder de compra equivalente a R$ 319 mil hoje.

Isso vale também para o valor das retiradas mensais. Os R$ 1.323 por mês já estão trazidos para preços de hoje. Esse critério, de descontar a inflação, será usado em todas as simulações deste artigo.

Uma observação: essa simulação leva em conta uma inflação de 4% ao ano e taxa Selic atual (6,5% ao ano). Além disso, estou considerando que você atualize o valor do investimento pela inflação. Exemplo: se você começou investindo R$ 500, e no mês que vem a inflação fica em 1%, no segundo mês você investe R$ 505, e assim por diante.

DIVIDENDOS DE AÇÕES

Uma outra forma de complementar a aposentadoria é comprando ações para receber proventos.

Os proventos são os valores que você pode receber quando compra ações. Eles vêm na forma de dividendos ou juros sobre capital próprio.

O mercado de ações é muito instável e imprevisível, então não dá para saber quanto você vai ganhar com dividendos. Mas dá para dizer o seguinte:

– Se você investir R$ 500 por mês em cinco ações diferentes;

– E se a empresa continuar pagando proventos no mesmo ritmo dos últimos 12 meses;

– Você tenderá a receber, daqui a 30 anos, R$ 243 mil por ano em proventos, o que dá em média R$ 15.468 por mês.

As cinco ações consideradas neste cálculo foram: EZTC3, CPLE3, CPLE6, MPLU3 e EGIE3. Escolhi estas porque foram boas pagadoras de dividendos em 2017.

Mas esses resultados você só vai ter se:

– a empresa continuar pagando dividendos no mesmo rito dos últimos 12 meses, ininterruptamente, pelos próximos 30 anos;

–  você reinvestir nas ações da companhia 100% dos proventos recebidos no período; e se

 o preço dessas ações e os dividendos acompanharem a inflação nesses 30 anos analisados.

Qual é o problema disso? É que é improvável que uma ação remunere tão bem seus acionistas durante tanto tempo, e tenha uma valorização que apenas acompanhe a inflação.

Então, tome esta simulação apenas como um exemplo bem otimista do quanto se pode ganhar investindo em dividendos. Lembre-se de que as ações são um investimento de alto risco e, da mesma forma como se pode ganhar muito, como neste exemplo, pode-se também perder parte considerável do dinheiro investido, ou mesmo todo ele, em casos extremos.

Observação: Esta simulação não é uma recomendação de compra. Dei o exemplo destas ações apenas porque se destacaram no pagamento de dividendos em 2017.

FUNDOS IMOBILIÁRIOS

Vamos fazer o mesmo tipo de simulação com fundos imobiliários:

– Investindo R$ 500 por mês, divididos em dez fundos imobiliários diferentes;

– Durante os próximos 30 anos;

– Pode-se atingir uma renda mensal de R$ 7.490.

Nesse caso, estou considerando os dez primeiros fundos de um ranking que elaborei recentemente. Também estou considerando que esses fundos continuem gerando uma receita semelhante à que geraram nos últimos 12 meses.

Porém, como no caso das ações, esses investimentos têm um risco bem mais alto que o Tesouro Direto.

AFINAL, COMO ESCOLHER?

Com esses dados deve ter ficado claro que não tem essa de achar um único investimento que seja o melhor de todos para aposentadoria. Pois o que é bom para um investidor arrojado pode ser ruim para um mais conservador.

O ideal é cada pessoa escolher investimentos que, juntos, respeitem a sua tolerância a risco e estejam de acordo com os seus objetivos.

Este artigo já ficou um pouco grande, mas durante a Semana da Aposentadoria vou explicar a metodologia que eu uso para escolher investimentos e que meus alunos também têm usado. Para participar do evento, basta se inscrever clicando aqui. A inscrição é gratuita. Se for participar, nos falamos no evento. Se não, até o próximo post!