Ranking: Veja quanto devem render os investimentos de baixo risco

Ranking: Veja quanto devem render os investimentos de baixo risco

Sílvio Guedes Crespo

23 Março 2018 | 05h00

As opções de investimento para quem quer correr o menor risco possível continuam com baixa rentabilidade e praticamente só acompanham a inflação, de acordo com o Ranking Renda Fixa Macroelaborado pelo economista Pedro Raffy Vartanian e por mim.

Por exemplo, o Tesouro Selic, título mais conservador do Tesouro Direto, deve render 5,1% nos próximos 12 meses. Mas se descontarmos a inflação estimada para o período (3,8%), o rendimento real dessa aplicação deve ser de aproximadamente 1,25%, conforme a tabela abaixo.

Os números acima, extraídos do estudo, mostram a projeção de rendimento das aplicações de mais baixo risco existentes no mercado brasileiro.

Ainda em relação à tabela acima, as linhas “Fundo DI 2.000”, “Fundo DI 10.000” e “Fundo DI 50.000” se referem à rentabilidade média dos fundos de investimento acessível para quem está investindo R$ 2.000, R$ 10 mil e R$ 50 mil, respectivamente. Repare que, para quem está investindo R$ 50 mil ou mais, os fundos DI rendem bem mais do que para quem investe R$ 2.000.

E agora?

Os números do ranking mostram que é cada vez mais difícil extrair um bom rendimento de aplicações de baixo risco.

Para quem simplesmente não quer perder dinheiro, a situação está “ok”. Afinal, diversas aplicações seguras estão dando de conta de acompanhar a inflação.

Já para quem quer ver o dinheiro render, as aplicações de baixo risco não animam.

Diante do atual cenário, para buscar um rendimento maior é preciso aumentar o risco ou estender o prazo das aplicações. Logo, para quem investe a longo prazo (por exemplo, para aposentadoria), existem possibilidades de aumentar a rentabilidade sem elevar tanto o risco.

Veja este exemplo. Considerando o cenário atual, se você investir R$ 500 por mês na poupança até 2035, você vai acumular um total aproximado de R$ 109 mil, já descontada a inflação. Já se escolher um investimento de longo prazo, como o Tesouro IPCA, pode acumular R$ 137 mil, ou seja, R$ 28 mil a mais.

E se optar por correr um pouco mais de risco – por exemplo, investindo em um fundo imobiliário – é possível atingir um patrimônio de R$ 187 mil, considerando a média do rendimento atual dos fundos imobiliários mais populares.

Falarei mais sobre esses dados na Semana da Aposentadoria, um evento online que será realizado em abril.

Durante uma semana, mostrarei como está o cenário para quem investe com objetivo de aposentadoria e responderei perguntas dos participantes. O evento é gratuito, mas tem limite de vagas e é necessário fazer inscrição com antecedência neste link. Tendo interesse, faça a inscrição e nos falamos no evento!