1. Usuário

E&N

Broadcast

Assine o Estadão
assine

Líder no mercado brasileiro, o Broadcast combina informações e funcionalidades que suprem as suas necessidades, independente do segmento que você opera ou acompanha, com um sistema flexível, preciso e confiável que transmite, em tempo real, dados dos diversos mercados nacionais e internacionais, além de notícias e análises integradas em uma única solução.

Cotações, taxas, índices mundiais, ferramentas, gráficos e notícias especializadas reunidos em um único lugar.

Tudo isso com a agilidade e a credibilidade que você precisa para facilitar a sua decisão de investimento no Mercado de Ações.

SOBRE O MERCADO FINANCEIRO

  • Por que as empresas lançam ações?
  • Ao abrir seu capital, uma empresa encontra uma fonte de captação de recursos financeiros permanentes. A plena abertura de capital acontece quando a empresa lança suas ações ao público, ou seja, emite ações e as negocia nas bolsas de valores. Dessa forma, ela se capitaliza para, por exemplo, fazer novos investimentos. E você, ao adquirir ações, passa a ser também sócio da empresa - um acionista.

  • Que tipo de empresa está na Bolsa?
  • Há empresas de toda natureza na Bolsa. São chamadas companhias abertas, pois promovem a colocação de permanvalores mobiliários em bolsas de valores ou no mercado de balcão. São considerados valores mobiliários: ações, bônus de subscrição, debêntures, partes beneficiárias e notas promissórias para distribuição pública.

  • A Bolsa de Valores também é para mim?
  • Os investidores têm o objetivo de obter maiores ganhos nos investimentos. Portanto, qualquer pessoa pode aplicar na Bolsa e ganhar muito dinheiro assim.

    A oferta de produtos para se atingir esse objetivo é diversificada, atendendo a todos os tipos de investidores: do mais conservador ao mais agressivo. Ciente do seu perfil, o investidor deve ainda considerar a tendência de mercado de que aplicações com os melhores retornos estão associados a riscos e prazos maiores.

  • O que são os pontos da bolsa?
  • Os pontos representam o preço de cada ação do Ibovespa (são 63 papéis) multiplicado pela quantidade teórica de ações. Para calcular a quantidade teórica de cada papel, a Bolsa leva em conta o número de negócios nos últimos 12 meses.

  • Obter ganhos de ações depende de sorte?
  • A Bolsa de Valores não é um cassino, um jogo de azar. As regras do mercado são claras e seus ganhos dependem de tomar decisões precisas e no momento certo. Por isso, é fundamental ter acesso a informações de qualidade e rapidez.

    Ao carregar recursos dos poupadores e disponibilizá-los para o uso dos investidores, o mercado de ações incentiva não apenas a formação da poupança interna, mas, particularmente, a geração de poupança de longo prazo. É inegável a relação entre a formação de poupança com os processos de crescimento auto-sustentado e manutenção do desenvolvimento econômico.

    O mercado de ações, ao premiar, via maximização dos retornos, o uso eficiente dos recursos e o momento correto da tomada de decisão, torna o próprio mercado cada vez mais eficiente e esse efeito é transmitido aos demais setores da economia. Por sua vez, um mercado eficiente proporciona uma ampla gama de alternativas de financiamento, isoladamente ou pela combinação entre as diversas opções, reduzindo custos financeiros, o que contribui decisivamente para a saúde financeira das empresas, com conseqüente valorização do capital investido pelos acionistas.

    Um mercado acionário desenvolvido, com bom volume, liquidez e adequada regulamentação, facilita os negócios de mudança de controle/propriedade e privatização, o que tem contribuído para o aumento da produtividade econômica nos últimos anos, em nível global. A demanda por informações e demonstrações financeiras de qualidade, por parte do mercado acionário, é um fator que estimula a cultura empresarial e do público geral, com frutos para toda a atividade econômica.

    O mercado acionário reflete a opinião dos principais agentes sobre a conjuntura econômica doméstica e internacional e suas perspectivas, constituindo-se também em importante formador de opinião. Assim, os diagnósticos e recomendações originadas desse mercado são elementos que os condutores da política econômica costumam considerar na tomada de decisões.

  • Em quanto tempo terei um bom retorno do meu investimento?
  • Embora o folclore do mercado destaque sempre casos de investidores que tiveram grandes ganhos no curto prazo na Bolsa, não deve ser esta a expectativa de quem decide investir em ações.

    Geralmente, ninguém entra em um empreendimento hoje para sair dele amanhã. A compra de uma ação é a mesma coisa que investir num bem, num carro, numa casa, e ainda tem a vantagem de ser uma operação simples.

    Portanto, pense sempre no investimento em ações como uma formação de patrimônio, uma poupança de longo prazo. O seu risco será menor.

  • Por que ações são um bom investimento?
  • Quando uma empresa vai bem em seus negócios, seus acionistas -que são sócios da empresa- também lucram. E as perspectivas para a economia brasileira são muito boas. Logo, as perspectivas de ganhos com ações é igualmente boa.

    Para que isso aconteça, é importante que o investidor seja bem assessorado ao decidir suas aplicações. Acompanhar o noticiário econômico, seguir as publicações legais das companhias e acessar informações específicas são fundamentais para garantir bons investimentos.

    Também é importante é saber que a ação é, principalmente, uma alternativa de formação de patrimônio. Por ser um investimento de renda variável, o investidor nunca deve comprometer na sua aquisição de ações recursos que serão necessários para despesas de primeira necessidade ou gastos imediatos.

    É recomendável que o investidor diversifique seus investimentos e dedique ao mercado de ações aquela parcela de recursos sobre a qual tenha uma perspectiva de retorno de médio e longo prazos, ou seja, o dinheiro que sobra para um investimento de longo prazo, para formação de patrimônio.

  • O que são clubes de investimentos?
  • Você e seus amigos, familiares ou colegas de trabalho podem formar um Clube de Investimento. Juntos, os participantes do clube vão somar seus valores, o que dará um montante maior do que se você investisse sozinho. Além disso, participando de um clube cria-se o hábito de investir mensalmente.

    Para abrir um Clube de Investimento, reúna um grupo de pessoas que tenha um objetivo comum e procure uma Corretora. Ela dará todas as orientações para a criação do clube.

  • Onde posso aprender mais sobre o assunto?
  • Como faço para investir em ações?
  • Primeiramente o investidor deve contratar os serviços de uma corretora e, com base em informações confiáveis, deve definir de qual(is) empresa(s) deseja comprar ações.

    Definidas as ações, o investidor dá a ordem de compra para a corretora que executa a ordem e compra a ação. O investidor efetua o pagamento referente à compra para a corretora depositando o valor previamente.

    A corretora credita as ações adquiridas na conta de custódia na CBLC em nome do investidor e este passa a ser sócio da empresa.

  • Como o Estadão Broadcast pode ajudar você?
  • O Estadão Broadcast reúne em um único software uma série de informações imprescindíveis para a tomada de decisão sobre a compra de ações. São informações sobre desempenho das bolsas, mercados de câmbio, juros, renda fixa, empresas e setores da economia, além de notícias, análises, cotações, gráficos e ferramentas. Tudo isso online e em tempo real, produzido pela mais especializada equipe do mercado.

  • Perfis de investidor: qual é o seu?
  • Para definir o seu perfil de investimento, você deve considerar a sua tolerância ao risco. Algumas pessoas estão mais dispostas a tomar riscos do que outras, pensando em um retorno maior; outras pessoas preferem tomar menos riscos e ter um retorno menor, mas mais seguro.

    O investidor avesso a risco é chamado de conservador, enquanto que o propenso a aceitar riscos é chamado de agressivo. Também existe o investidor que busca equilibrar risco e segurança, o qual é chamado de moderado.

    Descubra seu perfil aqui: http://economia.estadao.com.br/ferramenta_descubra_seu_perfil_de_investidor.htm

  • Qual ação devo comprar?
  • Para escolher as ações, o investidor deve colocar na balança três fatores:
    - a liquidez da ação: a facilidade de vender aquela ação quando você quiser;
    - o retorno da ação: quanto dinheiro você pode ganhar com ela;
    - o risco da ação: quais as chances daquela companhia ter uma queda agressiva no valor de suas ações por conta de alguma notícia inesperada.

  • Qual tipo de análise posso fazer para decidir que ação comprar?
  • Existem dois tipos de análises mais comuns no mercado de ações. A primeira delas, e talvez você já tenha ouvido falar, é a análise fundamentalista. Neste tipo de análise, o investidor leva em consideração os "fundamentos" da empresa, como lucro, grau de endividamento e participação no mercado. Ou seja, o investidor pode avaliar se os papéis estão caros ou baratos em relação aos fundamentos atuais ou futuros. É necessário dedicar tempo para conhecer os planos da empresa, os investimentos mais recentes e para os meses/anos seguintes, comparar os números e fazer projeções. Quem se interessa por esse tipo de análise pode recorrer ao RI (Relações com Investidores) das empresas e pedir informações adicionais.

    Já a análise gráfica usa basicamente o gráfico de preços da ações, com figuras gráficas e linhas de tendência. Os grafistas estudam o histórico da ação: eles observam a ação no passado e tentam perceber o que irá ocorrer com as cotações nas próximas semanas. Além disso, para eles, o principal objetivo é mapear o comportamento da massa dos investidores e observar onde estão os movimentos de compra e venda. Um gráfico de curto prazo, por exemplo, pode mostrar as variações de uma cotação no último dia, semana ou mês.

  • Quais impostos devo pagar?
  • O único imposto que incide sobre as ações é o imposto de renda e deve ser recolhido sobre o ganho líquido. O ganho líquido é calculado pela diferença entre o preço de venda e o custo médio das ações vendidas.

  • Os erros mais comuns dos investidores: fuja deles.
  • Ganhos a curto prazo não devem ser a expectativa de quem decide investir em ações: você não deve investir neste mercado aquele dinheiro destinado a pagar suas contas do dia-a-dia. Pense no médio e longo prazo quando decidir investir em ações. Em prazos maiores, é possível reverter eventuais quedas nos preços das ações que comprar.

    É importante também que o investidor seja bem assessorado ao decidir suas aplicações. Acompanhar o noticiário econômico, seguir as publicações legais das companhias é essencial.

Fonte: BM&FBovespa

Se você já é assinante do Estadão Broadcast, acesse o conteúdo digitando seu login e senha acima.

Caso ainda não seja assinante, peça uma demonstração e tenha acesso a melhor da informação financeira, em tempo real, para você realizar os seus investimentos em ações, de maneira mais eficiente e segura.

Assine Aqui