12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Você está em Economia
Início do conteúdo

Falta de pessoal qualificado preocupa 72,5% da indústria, diz IBGE

No levantamento anterior, de 2006 a 2008, essa incidência era de 57,8%

05 de dezembro de 2013 | 10h 03
Idiana Tomazelli, da Agência Estado

RIO - A falta de pessoal qualificado passou a ser listada como um dos principais obstáculos das indústrias para inovar. A Pesquisa de Inovação Tecnológica (Pintec) relativa ao período de 2009 a 2011, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que a qualificação da mão de obra era uma preocupação de 72,5% das empresas do setor. No levantamento anterior, de 2006 a 2008, essa incidência era de 57,8%.

"O risco sempre figurou entre os principais obstáculos, mas a qualificação acabou suplantando o risco, pelo menos no segmento industrial", disse o gerente da pesquisa, Alessandro Pinheiro. Nos serviços, a taxa das empresas que apontam a falta de pessoal qualificado como um obstáculo de importância alta ou média também é elevada, de 72,5%, embora o problema já estivesse mais evidente na pesquisa passada, quando a taxa era de 70,4%.

No triênio que captou os piores momentos da crise financeira iniciada em 2008, a preocupação com os riscos da economia também aumentou. Na indústria, 71,3% das empresas listaram esse obstáculo até 2011, contra 65,9% no período entre 2006 e 2008. Nos serviços, essa taxa ficou em 73,8% na pesquisa mais recente, enquanto o setor de eletricidade e gás chegou a um porcentual de 80%.

Segundo o IBGE, os dados reforçam a ideia de que as empresas se depararam com níveis maiores de dificuldade no período de 2009 a 2011. "Em um contexto de crise, elas adotam um comportamento mais defensivo e postergam planos de lançar novos produtos", analisa Pinheiro.

Setores

A Pintec investigou 128,7 mil empresas e, dessas, 116,6 mil são industriais. Na indústria, as atividades que mais se destacaram por serem inovadoras foram a fabricação de aparelhos eletromédicos e eletroterapêuticos (com o maior uso de nanotecnologia e biotecnologia), a indústria química e a indústria automobilística. De modo geral, o IBGE informa que o padrão de inovação baseado na incorporação de máquinas e equipamentos se mantém.





Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo