AGU pede que paralisação dos advogados seja suspensa

A Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com ação ontem na 16ª Vara Federal para suspender a greve dos advogados públicos federais que começou quinta-feira. Segundo o diretor da União dos Advogados Públicos Federais do Brasil (Unafe), Dimitri Brandi de Abreu, a AGU tomou uma atitude "agressiva" porque a emissão de pareceres para licitações está comprometida. "As contratações estão paradas, o que inclui obras previstas no PAC", afirma. O salário inicial da categoria está em R$ 10,5 mil. A classe pede R$ 16 mil. Segundo a Unafe, o governo desrespeita acordos firmados nos últimos dois anos, afirmando que não há verba disponível. "Esperávamos equiparação com os salários da Polícia Federal. Mas o acordo caiu junto com a CPMF, o que nunca havia sido cogitado", diz Abreu. Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apóia as reivindicações e cobra de Lula o "cumprimento imediato de acordos firmados".

Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

22 Janeiro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.