12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Você está em Economia
Início do conteúdo

Venda de veículos bate recorde em janeiro, mas indústria prevê ano difícil

Desempenho foi impulsionado por promoções de estoques ainda sem a alta do IPI, em vigor desde o mês passado

03 de fevereiro de 2014 | 21h 35
Cleide Silva, de O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO - Com promoções e uma certa corrida às lojas para aproveitar os estoques de carros sem a alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), em vigor desde o início do ano, a indústria automobilística registrou no mês passado o melhor janeiro de sua história. Foram vendidos 300,1 mil automóveis e comerciais leves, 1% a mais que no mesmo mês de 2013, até então recorde para o setor. Em relação a dezembro, contudo, houve queda de 10,7%.

Somando caminhões e ônibus, as vendas totalizaram 312,6 mil unidades, apenas 0,4% acima do resultado de um ano atrás, e 11,6% abaixo no comparativo com dezembro, tradicionalmente forte para o setor.

O fato de começar o ano com discreta alta nos negócios, contudo, não deve ser tendência daqui para a frente. "Este ano vai ser muito difícil", prevê o diretor da Ford, Rogelio Golfarb.

Além dos problemas macroeconômicos, como crescimento baixo do Produto Interno Bruto (PIB) e crédito caro, o ano terá jogos da Copa e eleições, dois fatores que podem influenciar nos negócios, afirma o executivo.

Indústria e revendedores reconhecem que o desempenho de janeiro é decorrente da oferta de estoques com IPI menor. No fim de dezembro, só as revendas tinham em seus pátios 289,4 mil veículos que foram faturados no fim do ano com o desconto do IPI, que estava em vigor desde maio de 2012. Segundo as montadoras, atualmente há poucos carros com IPI antigo nas lojas.

"Tradicionalmente, o primeiro mês do ano costuma ser um período mais fraco para vendas de automóveis. Porém, os estoques contavam com veículos ainda com desconto no IPI, e esse foi o fator relevante para o crescimento", diz Flavio Meneghetti, presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O ano de 2013 encerrou com queda de 0,9% nas vendas em relação ao anterior, o primeiro resultado negativo em dez anos. Para 2014, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) projeta aumento de apenas 1,1%, para 3,8 milhões de unidades.

Segundo Golfarb, apesar do resultado positivo de janeiro, será necessário esperar até o fim do primeiro trimestre para uma avaliação mais detalhada do impacto que pode ter a volta gradual do IPI.

Em janeiro, a alíquota para modelos com motor 1.0 subiu de 2% para 3% e, em julho, volta a taxa integral de 7%. Para modelos até 2.0 flex o imposto passou de 7% para 9% e vai a 11% em julho e de 8% para 10%, indo a 13% nas versões a gasolina.

Em janeiro também houve reajustes de preços (de cerca de R$ 1,5 mil) em razão da inclusão de airbag e freios ABS em modelos de entrada (mais baratos) que ainda não tinham os itens de segurança que passaram ser obrigatórios.

Produção. Além do comportamento das vendas internas, há preocupação com a produção, que encerrou o ano passado com volume recorde de 3,74 milhões de unidades, após alta de quase 10% ante 2012.

Segundo Golfarb, as exportações para a Argentina devem cair este ano em razão das restrições que o país impôs à compra de veículos brasileiros.

O impacto da substituição de carros importados por nacionais, que também ajudou a impulsionar a produção, tende a ser menor este ano. A Anfavea projeta praticamente um empate com o resultado de 2013.

Liderança. A Fiat manteve a liderança em janeiro, com 21% de participação nas vendas de automóveis e comerciais leves, seguida por Volkswagen (18,4%) e General Motors (18%). O modelo mais vendido segue sendo o Gol (21,6 mil unidades). Na sequência estão Fiat Uno (13,6 mil) e Ford Fiesta (13,1 mil).





Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão






Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo