1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Mark Mobius afirma que é um bom momento para comprar ações brasileiras

- Atualizado: 15 Outubro 2015 | 23h 56

Investidor disse estar considerando comprar ainda mais no Brasil; preços das ações no País, segundo ele, se tornaram atrativos após a desvalorização de 30% do real em relação ao dólar neste ano

SÃO PAULO - O guru de investimentos em mercados emergentes Mark Mobius está apostando que o impacto das crises econômica e política nos mercados do Brasil está prestes a atingir seu ponto mais baixo e argumenta que esse é um bom momento para comprar ações brasileiras.

Mobius, que é presidente executivo do Templeton Emerging Markets Group, disse estar considerando comprar ainda mais no Brasil. Os preços das ações no país, segundo ele, se tornaram atrativos após a desvalorização de 30% do real em relação ao dólar neste ano. Ele notou que os investimentos da empresa no Brasil estão atualmente estimados em apenas pouco acima de US$ 1 bilhão.

"Eu acho que nós estamos provavelmente no ponto mais baixo dessa fase do jogo ou muito perto dele", comentou. "E agora é o momento de realmente olhar para o Brasil."

Guru de investimentos em mercados emergentes Mark Mobius 

Guru de investimentos em mercados emergentes Mark Mobius 

Mobius informou que está atualmente de olho no segmento de consumo no país, em áreas como bebidas.

Como investidor de longo tempo nas ações do Brasil, Mobius está olhando à distância a turbulência econômica e política que levou a pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Nós amamos a incerteza, nós amamos a volatilidade porque sabemos que do ponto de vista do longo prazo o Brasil irá sobreviver e se recuperar", afirmou Mobius.

O investidor de mercados emergentes de longa data disse acreditar que os mercados financeiros provavelmente reagiriam positivamente ao impeachment de Dilma, ainda que ele acredite que isso não irá acontecer.

"Se ela der continuidade à drástica reforma, isso seria tão bom quanto sua renúncia ou impeachment", disse Mobius. "Ela provavelmente seria mais qualificada para fazer as reformas que são necessárias porque ela sabe o que está por trás da cena."

Mobius afirmou que tem aumentado seus investimentos no setor bancário privado brasileiros, como Itaú Unibanco e Bradesco, e que poderia ser um bom momento para os investidores darem outra olhada na Petrobras, cujas ações caíram cerca de 20% neste ano.

"Tenho certeza que, dado o que aconteceu, haverá reformas na companhia. Nós certamente não desistimos", comentou, acrescentando que ele não tem comprado mais papéis da companhia.

Os rebaixamentos dos ratings do Brasil por agências de classificação de risco já estava na conta, disse Mobius. "Eu acho que essas agências de rating normalmente estão muito atrasadas, elas tendem a vir após o fato", afirmou, notando que os movimentos das agências podem ter um efeito positivo sobre o país ao impulsionar mudanças necessárias. Fonte: Dow Jones Newswires

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX