Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » A administração pública sustentável precisa querer desafiar a opinião pública, diz pensador

Economia & Negócios

A administração pública sustentável precisa querer desafiar a opinião pública, diz pensador

Rohit T. Aggarwala, especialista em sustentabilidade, afirma que as cidades não devem ser um poder secundário à União

0

O Estado de S.Paulo

24 Março 2016 | 07h00

A boa gestão de uma cidade pode ser medida pela qualidade dos espaços públicos utilizados de forma coletiva pela população. Conforme explica o membro do time construtor do Google Sidewalk Labs, startup que desenvolve e apoia novas tecnologias para melhorar a qualidade de vida nas cidades, Rohit T. Aggarwala, o que faz um espaço urbano ser eficiente é o fato de as pessoas compartilharem as coisas. 

"Tudo isso torna os habitantes das cidades mais eficientes. É nas áreas compartilhadas que é possível ver a qualidade de uma cidade", pontua o especialista. "Quando se tem uma cidade mal administrada, as pessoas ricas ficam isoladas por paredes e nos subúrbios. Isso indica que a área privada é boa e a área compartilhada não é", analisa Aggarwala.

Para o estudioso, o administrador ideal de uma cidade deve estar atento a essa configuração urbana. "Uma administração pública sustentável deve ser consciente e atenta ao que o público precisa e deseja. Mas também precisa querer desafiar a opinião pública", avalia. "É preciso ter um prefeito que esteja aberto a novas ideias, mas também tenha uma boa percepção de suas prioridades. Isso é o que atrai uma boa equipe."

A entrevista foi gravada durante o Lemann Dialogue, uma conferência que reúne alunos bolsistas da Fundação Lemann das Universidades de Columbia, Harvard, Illinois e Stanford.

O conteúdo integra a plataforma UM BRASIL, idealizada pela FecomercioSP, que nesta série conta com a parceria do Columbia Global Center no Rio de Janeiro e do Lemann Center for Brazilian Studies da Universidade Columbia.

As gravações aconteceram em Nova York, entre os dias 16 e 20 de novembro de 2015. Confira a íntegra da entrevista.

Comentários