Alta do dólar começa a beneficiar indústrias

Segundo sondagem da FGV/Ibre, o câmbio tem incentivado, de forma gradual, a substituição das importações

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2015 | 02h02

A desvalorização cambial, ainda que de forma incipiente, começa a trazer efeitos positivos para os indicadores de demanda da indústria, disse o superintendente adjunto de Ciclos Econômicos do FGV/Ibre, Aloisio Campelo, ao comentar os resultados da Sondagem da Indústria da Transformação de setembro. De acordo com ele, já se pode ver o câmbio contribuindo para a substituição, ainda gradual, das importações.

De acordo com Campelo, o indicador de demanda externa, por exemplo, a despeito da volatilidade do câmbio, caminha por um ambiente de neutralidade. Em setembro, de acordo com a Sondagem, o nível médio da demanda externa ficou em 83,3%. A média histórica é de 89,7 pontos. Entre agosto para setembro, das 1.130 empresas pesquisadas, 11,6% disseram ver a demanda externa mais forte ante 8% na sondagem anterior. Os que estão vendo a demanda externa mais fraca foram 28,3% ante 20% em agosto.

"Isso acontece porque economias importantes para o comércio brasileiro como Argentina, Venezuela e Rússia não estão bem. Mas é positivo ver a demanda externa caminhando para a neutralidade", disse Campelo. O indicador de demanda interna, por sua vez, se ainda não começou a crescer, pelo menos deixou de cair. E das empresas consultadas, 8,2% já trabalham com crescimento ante 3,6% em agosto. 

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo dólar indústria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.