América do Sul terá o pior resultado comercial do mundo em 2014 e 2015, diz OMC

Segundo a OMC, mercados emergentes desaceleraram; para a região latino-americana, a previsão é de um crescimento das exportações de apenas 0,4% em 2014, distante dos 6,6% em 2011

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

23 Setembro 2014 | 14h37

ZURIQUE - A América do Sul terá o pior resultado comercial do mundo em 2014 e 2015, puxada pela queda da economia brasileira. O alerta é da Organização Mundial do Comércio (OMC) que rebaixou a previsão de crescimento para as exportações mundiais para este e para o próximo ano. A entidade liderada pelo brasileiro Roberto Azevedo apontava que, neste ano, a expansão do comércio seria de 4,7%. Mas diante da queda na atividade econômica e da desaceleração de mercados emergentes, a OMC reduziu a projeção para apenas 3,1%. 

Para 2015, a previsão feita em abril era de uma expansão do comércio de 5,3%. Mas, hoje, o crescimento previsto para o próximo ano é de apenas 4%. 

"A redução vem em resposta ao crescimento do PIB abaixo do esperado e uma demanda de importação em queda no primeiro semestre de 2014, em particular em recursos naturais exportados por regiões como a América do Sul e América Central", indicou o comunicado da OMC. 

Para a região latino-americana, a previsão é de um crescimento das exportações de apenas 0,4% em 2014, distante dos 6,6% em 2011. A taxa é a mais baixa entre todos os continentes. Para 2015, a previsão é de um crescimento de 3,2%. Mas abaixo da média de todas as demais regiões. 

Mas a queda também se reflete nas importações da região. A América Latina sofrerá uma contração de 0,7% em suas compras do mundo no ano, o pior resultado. 

"Esse é o momento para nos lembrar que o comércio pode ter um papel importante", declarou Azevedo. "Cortar custos do comércio e ampliar as oportunidades de comércio podem ser ingredientes chave para reverter essa tendência", completou. 

Mais conteúdo sobre:
comércio OMC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.