Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Anatel analisa nova proposta de reestruturação da Oi

Operadora, que está em recuperação judicial, vai reformular plano e analisar nova proposta feita por credores

O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2017 | 23h09

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recebeu na quinta-feira documento da Oi com informações referentes ao plano de recuperação judicial reformulado. Os dados enviados estão agora sob análise, informou o órgão regulador por meio de sua assessoria.

A Oi, que está em recuperação judicial desde junho do ano passado e tem dívida de R$ 64 bilhões, não conseguiu entregar um plano reformulado no prazo estipulado devido a conflitos entre credores e acionistas, conforme antecipou o Estadão/Broadcast. Em vez disso, a operadora apresentou à Anatel uma carta descrevendo a sua situação financeira e operacional, bem como o status atualizado das negociações com credores.

Na quarta-feira, os principais credores da operadora – representados pelo banco americano Moelis e pela assessoria G5, em parceria com bancos de fomentos estrangeiros, reunidos pela consultoria FTI – se uniram para apresentar uma proposta conjunta alternativa. Esse grupo tem R$ 22,6 bilhões em débitos da Oi e se comprometeu a injetar R$ 3 bilhões na companhia e converter 88% das dívidas da tele em ações.

Discussão. De acordo com o presidente da Oi, Marcos Schroeder, a companhia vai analisar, na próxima semana, a proposta de reestruturação apresentada por esse grupo de credores e outros detentores das dívidas (“bondholders”). O executivo afirmou que a apresentação de uma proposta pelos credores é positiva e que quem está disposto a injetar dinheiro na companhia acredita nela. O total das dívidas nas mãos dos credores soma aproximadamente R$ 32 bilhões.

Proposta criticada. Em março, a operadora tinha feito uma proposta de capitalização na tele no valor de R$ 8 bilhões. Deste total, R$ 5 bilhões seriam em injeção de dinheiro e outros R$ 3 bilhões em conversão de dívida. Essa oferta foi criticada pelos credores.

O administrador da recuperação judicial da companhia marcou para outubro uma Assembleia Geral de Credores (AGC). A primeira convocação será no dia 9 de outubro e a segunda no dia 23 do mesmo mês. /CIRCE BONATELLI E MARIANA DURÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.