1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Aneel aprova reajuste de 12,82% para CPFL em cidades do interior de SP

- Atualizado: 22 Março 2016 | 10h 30

Para consumidores de cinco municípios paulistas, as tarifas devem subir 6,33%, para conexões à alta tensão, e 17,05%, para a baixa tensão

CPFL Sul Paulista atende 80 mil unidades consumidoras em Itapetininga e outros quatro municípios do interior de São Paulo

CPFL Sul Paulista atende 80 mil unidades consumidoras em Itapetininga e outros quatro municípios do interior de São Paulo

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou há pouco um reajuste de 12,82% nas tarifas da CPFL Sul Paulista. Para consumidores conectados à alta tensão, as tarifas devem subir 6,33%, e para a baixa tensão, 17,05%. As novas tarifas vigoram a partir desta terça-feira (22).

De acordo com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, o aumento foi influenciado pelos efeitos financeiros de 2015, uma vez que a companhia arcou, ao longo do ano, com custos elevados no que diz respeito à compra de energia, e somente foi ressarcida agora. Um dos principais impactos foram as despesas com a energia de Itaipu, que é cotada em dólar, e tiveram impacto relevante, devido à desvalorização do real no ano passado.

A empresa também aumentou o volume de investimentos, o que eleva a base de remuneração da companhia e traz impactos à tarifa. Segundo Rufino, os efeitos financeiros foram responsáveis por 7,5 pontos porcentuais no reajuste, enquanto os investimentos tiveram impacto de 2,3 pontos porcentuais.

O reajuste diz respeito à quarta revisão tarifária da companhia, processo feito de quatro em quatro anos que tem como objetivo garantir o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão.

A CPFL Sul Paulista atende 80 mil unidades consumidoras em Itapetininga e outros quatro municípios do interior de São Paulo.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX