1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Conta de luz deixará de ter cobrança adicional a partir de abril, diz Aneel

- Atualizado: 29 Março 2016 | 11h 04

Agência confirma o acionamento da bandeira verde, na qual não há taxa adicional; sistema de bandeiras entrou em vigor em 2015

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou nesta terça-feira, 29, o acionamento da bandeira verde nas contas de luz a partir de abril. Será a primeira vez, desde a implantação do sistema, que não haverá cobrança adicional nas tarifas de energia.

Segundo o relator da proposta, o diretor Tiago de Barros Correia, as condições de geração de energia estão favoráveis em todo o País, exceto no Nordeste, onde a situação ainda não é tão confortável.

Veja dicas para economizar na conta de energia elétrica
Estadão
Veja dicas para economizar na conta de energia elétrica

Como fazer para poupar energia e gastar menos com a conta de luz? Em tempos de crise, a mudança em algumas atitudes pode fazer a diferença na fatura do mês. Confira as dicas da Proteste e do engenheiro eletricista Luciano Carstens, diretor do Núcleo de Ciências Tecnológicas e Exatas da Universidade Positivo.

Porém, esse cenário é compensado pelas demais regiões. Além disso, há um saldo acumulado de R$ 2 bilhões na conta centralizadora das bandeiras tarifárias.

No mês de março vigorou a bandeira amarela, que adiciona R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora de consumo na conta de luz. Desde janeiro de 2015, quando o sistema entrou em vigor, a bandeira era vermelha, que sinaliza piores condições de geração de energia.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX