1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Após cortar nu, Playboy americana é colocada à venda

- Atualizado: 26 Março 2016 | 08h 57

Além da revista, a Mansão Playboy, do fundador Hugh Hefner, está no mercado; banco Moelis assessora negócio

Coelhinha da Playboy: Império busca comprador

Coelhinha da Playboy: Império busca comprador

A Playboy Enterprises, proprietária da revista Playboy, poderá ser vendida, disse uma fonte familiarizada com o assunto ao jornal The Wall Street Journal, na quinta-feira. A iniciativa ocorre logo após a famosa revista interromper a publicação de fotos de mulheres nuas e colocar a icônica Mansão Playboy à venda.

A companhia está avaliada em cerca de US$ 500 milhões, segundo fontes. O banco de investimentos americano Moelis & Co. está assessorando a Playboy nessa operação. Não está descartada a venda total ou uma parte do negócio. O banco não quis comentar o assunto. A Playboy Enterprises também não falou sobre o tema.

Hugh Hefner, que fundou a revista Playboy em 1953, transformou-a em empresa de capital fechado em 2011, junto com o fundo de private equity (que compra participações em empresas) Rizvi Traverse Management, que à época avaliou a companhia em US$ 207 milhões. Hefner tem cerca de um terço das ações do negócio.

O último número da edição norte-americana da revista com mulheres nuas circulou em dezembro. A capa escolhida para fechar essa linha editorial foi a atriz Pamela Anderson, de 48 anos, um dos grandes símbolos da história da publicação.

A Playboy não divulga informações financeiras detalhadas da companhia. Em 2015, gerou US $ 38 milhões em mídia, incluindo as iniciativas de revistas e publicação digital, e US$ 55 milhões do licenciamento de sua marca para outras empresas, de acordo com um documento obtido pelo The Wall Street Journal.

Brasil. No Brasil, a publicação, que ficou sob a gestão da Editora Abril por 40 anos, passou em dezembro passado para as mãos da paranaense PBB Entertainment, criada pelo fotógrafo de moda André Sanseverino e os empresários Marcos de Abreu e Edson Oliveira. A próxima capa, prevista para abril, terá a atriz Luana Piovani, que não recebeu cachê para posar nua. /Agências Internacionais

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX