Terri Coles/Reuters
Terri Coles/Reuters

Após quase 30 anos, Sony vai voltar a fabricar vinis

A Sony instalou um novo estúdio de gravação em Tóquio especialmente para produzir vinis a partir das gravações originais e aproveitar melhor a qualidade desse formato

O Estado de S.Paulo

29 Junho 2017 | 01h45

TÓQUIO - A gigante tecnológica e audiovisual japonesa Sony anunciou nesta quinta-feira, 29, que voltará a fabricar discos de vinil - algo que não fazia desde 1989. O motivo é o aumento da demanda global de música no formato analógico, diz a companhia. 

A empresa interrompeu a fabricação doméstica de vinis no fim dos anos 1980 devido ao aumento da procura por CDs, o outro formato físico digital que a própria Sony ajudou a desenvolver e passou a distribuir em 1982. 

A Sony quer, assim, adaptar-se ao renascimento do vinil graças às vendas de álbuns de segunda mão e ao elevado número de novos lançamentos no antigo suporte analógico. 

As vendas de vinis no Japão atingiram quase 800 mil unidades em 2016, oito vezes mais que em 2010, segundo a Sony. 

A tendência também é vista em outros países como Reino Unido, onde no ano passado as vendas chegaram a superar as da música em formato digital. Nos EUA, foram vendidos 17,2 milhões de vinis em 2016. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Sony Japão Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.