1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Argentina critica juiz dos EUA por atitude 'imperialista'

REUTERS

22 Agosto 2014 | 09h 39

A Argentina acusou nesta sexta-feira o juiz norte-americano que chamou o novo plano de reestruturação da dívida argentina de ilegal de fazer comentários "imperialistas" contra o país.

A terceira maior economia da América Latina caiu em seu segundo default em 12 anos em julho, depois que o juiz distrital Thomas Griesa bloqueou o pagamento a detentores de dívida emitida sob a lei norte-americana que foi reestruturada após o default em 2002.

Griesa disse que as medidas anunciadas pela presidente argentina, Cristina Kirchner, nesta semana para fazer os pagamentos da dívida localmente e levar detentores de títulos a levarem as dívidas que detêm para a jurisdição das leis argentinas violam decisões anteriores do tribunal, embora ele não tenha chegado a declarar o país em desacato.

O chefe de gabinete argentino, Jorge Capitanich, disse que as palavras escolhidas por Griesa foram "infelizes, incorretas e até mesmo, eu diria, expressões imperialistas".

"Merece repúdio de caráter coletivo ... as infelizes declarações do juiz Griesa, que constituem uma ingerência indevida de um magistrado de outro país sobre a soberania da República Argentina", disse Capitanich.

Em comunicado divulgado no final da quinta-feira, o Ministério da Economia da Argentina disse que as declarações do juiz veterano demonstraram uma "completa ignorância do funcionamento de instituições democráticas".

Analistas dizem que um acordo entre a Argentina e os fundos de investimento norte-americanos que rejeitaram a reestruturação é agora improvável antes da eleição no país no próximo ano, na qual a presidente Cristina Kirchner não pode concorrer.

(Por Jorge Otaola e Richard Lough)